IL/AÇORES ASSINALA 25 DE ABRIL NA ILHA DO CORVO

A Iniciativa Liberal nos Açores assinala a passagem de mais um aniversário sobre a Revolução do 25 de abril de 1974 com a realização de um evento na mais pequena ilha dos Açores, o Corvo, realizando, para além de contactos com os locais, uma “caminhada liberal” (que percorrerá o trilho pedestre do Caldeirão) e com uma audiência com o Presidente da Câmara do Corvo.

“A Iniciativa Liberal dos Açores considera que assinalar o dia 25 de abril é comemorar uma das principais conquistas políticas, senão mesmo a própria cidadania, pois para um verdadeiro liberal não existem cidadãos sem liberdade. Apesar das tentativas da extrema-esquerda de transformar Portugal num espaço satélite da ex-União Soviética, o 25 de abril foi um marco indelével na construção de um Portugal mais livre, mais participativo e mais próspero. A essa Revolução se deve também a abertura do caminho para a fundação do nosso sistema político-administrativo autonómico. Por isso, vamos comemorar essas conquistas na mais pequena ilha dos Açores onde não temos, militantes nem adeptos assumidos, mas que tem o direito a conhecer melhor o nosso projeto”, disse Nuno Barata, Líder Regional do partido, citado em nota do partido.

“Vamos liberalizar o Corvo. Somos liberais Açorianos, do Corvo a Santa Maria, e vamos levar o nosso ideal a todos os cantos dos nossos Açores. Esse é o nosso desígnio, essa é a nossa missão”, concretizou.

“A Iniciativa Liberal sempre considerou que as celebrações do 25 de abril não são exclusivas dos partidos de esquerda, nem das suas organizações satélites. Todos os anos, desde que o partido foi fundado, comemoramos esta importante data que iniciou o processo de transição para uma democracia em Portugal. Este ano não será diferente. A liberdade não tem donos. Este ano, pela primeira vez, nos Açores, a IL vai também promover as suas celebrações. E vamos começar pelo Corvo”, acrescentou Nuno Barata.

Uma comitiva de militantes e dirigentes liberais de diferentes ilhas dos Açores estão esta segunda-feira no Corvo, onde, para além de contactos de proximidade com os corvinos, vão realizar, a partir das 15:00, o que designaram por “Caminhada Liberal”, percorrendo o trilho pedestre do Caldeirão – ex-libris natural da mais pequena ilha do arquipélago (percurso de cerca de 3 horas de caminhada).

Já na terça-feira, dia 26 de abril, o Deputado e Líder Regional da IL/Açores, Nuno Barata, reunir-se-á com José Manuel Silva, o presidente da Câmara Municipal do Corvo, pelas 9:00.

A ilha do Corvo, considerada pela Unesco como Reserva Mundial da Biosfera, é a menor das nove ilhas, com uma área de apenas 17,1 km2. Terá sido descoberta pelo navegador português Diogo de Teive, pela mesma altura que a ilha das Flores, por volta de 1452, e Insula Corvi foi a sua primeira designação. O único povoado da ilha, Vila do Corvo, está implantada numa fajã lávica que constitui a principal superfície aplanada da ilha. É uma vila pitoresca e invulgar caraterizada pelas fachadas de pedra negra, com debruado branco nas janelas e nas portas, e pelas ruas estreitas. O uso de fechaduras em madeira nas portas das habitações, fabricadas pelos artesãos do Corvo, é uma das tradições que se mantêm, simbolizando a vivência pacífica da ilha.

O Caldeirão – ex-libris da ilha – fica a seis quilómetros da vila. Esta caldeira vulcânica, resultado do colapso do topo do vulcão central do Corvo, com uma profundidade de 305 metros e o seu interior é ocupado pela Lagoa do Caldeirão.

© IL/A | Foto: IL/A | PE

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s