O ESQUECIMENTO DA ILHA DAS FLORES

Alexandra Manes

Após a última ida do Secretário Regional da Agricultura e Desenvolvimento Rural à ilha das Flores que a vida, por lá, mudou substancialmente. E mudou para pior.

A ida do Sr. Secretário e a tentativa de aliciamento aos produtores de leite resultou no pânico, na incerteza e no possível encerramento da Cooperativa Ocidental.

A ilha das Flores tem todos os problemas das ilhas mais pequenas: despovoamento, população envelhecida, desemprego, dificuldade no acesso à saúde, entre outras. A isto tudo acresce a sua periferia dentro da ultraperiferia.

O que nós temos assistido é que se continua a tratar igual o que é diferente!

A Cooperativa Ocidental é a maior unidade fabril do grupo ocidental, sendo fundamental ao desenvolvimento socioeconómico e, ainda, cultural. Ao momento emprega 17 pessoas, fora os postos de trabalho que cria de forma indireta.

É de salientar que esta cooperativa exporta parte substancial dos seus produtos para a América do Norte, continente e para algumas ilhas, desta região.

Mas, voltando ao cerne da questão. No passado mês de fevereiro, deslocou-se, o Sr. Secretário, António Ventura, para colocar a possibilidade de a produção de leite ser substituída pela fileira da carne.

Após as suas declarações à RTP Açores gerou-se um frenesim nas Flores. É normal que quando se ouça semelhantes declarações se gerem dúvidas.

“é preferível para o Governante que a produção leiteira na ilha termine de vez.”, este é um excerto da peça do Telejornal de 26 de fevereiro relativa a este assunto.

Quem, numa ilha como as Flores, ouve isto e não se irrequieta? Quem não reage?

Reagiram as e os residentes nas Flores. O problema é que o Sr. Secretário poderá mesmo ter tirado qualquer oportunidade a esta cooperativa, pois fornecedores e clientes poderão ter reações que não abonem a favor desta cooperativa e, portanto, prejudiciais à ilha.

É a segunda vez que as idas de membros do Governo instalam a incerteza nas Flores.

Ainda não esquecemos a intenção de cortar nas verbas à reconstrução do porto comercial das Lajes das Flores e já se nos encontramos perante a possibilidade de fechar um empregador que levará ao aumento do desemprego

Agora é comparar o que tem sido feito, e ainda bem, para o Corvo e aquilo que não tem sido feito para as Flores.

Alexandra Manes
Deputada do BE na ALRAA

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s