CDS TEM PROVAS DADAS NO APOIO ÀS SOCIEDADES FILARMÓNICAS DOS AÇORES, DIZ ANDREIA VASCONCELOS

Os candidatos do CDS-PP pela ilha Terceira às próximas eleições para a Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores visitaram, esta terça-feira, a Sociedade Filarmónica da Vila Nova. Alonso Miguel, Andreia Vasconcelos e os restantes elementos da comitiva tiveram oportunidade de visitar as instalações daquela sociedade, que acolhe a banda filarmónica da freguesia da Vila Nova, e de reunir com o Presidente da Direção e o maestro da banda filarmónica.

Durante a visita, Andreia Vasconcelos, candidata n. 3 ao Parlamento Regional pela ilha Terceira, lembrou que o CDS-PP tem desenvolvido um trabalho de valorização contínua das tradições e da cultura popular terceirense, tendo provas dadas na defesa das Filarmónicas e das escolas de música da Região. A visita serviu ainda para averiguar, junto do Presidente da Direção da Sociedade da Vila Nova, os problemas mais prementes que a entidade atravessa, em virtude da pandemia COVID-19, que, no fundo, são transversais a todas as Sociedades Recreativas da ilha Terceira.

Neste sentido, Andreia Vasconcelos lamentou que “esta coletividade, tão importante para a promoção da cultura local, esteja, em virtude do contexto pandémico, a passar por dificuldades severas”.

“Repudiamos que tanto a autarquia praiense como a junta de Freguesia da Vila Nova não tenham prestado, no atual quadro de circunstâncias, a atenção devida aos problemas da Sociedade da Vila Nova e da sua escola de Música”, referiu.

A candidata do CDS-PP, Andreia Vasconcelos, recordou as propostas do CDS-PP, no Parlamento Regional, que constituem hoje apoios fundamentais ao bom funcionamento destas instituições culturais.

“Em nome da nossa cultura e das nossas tradições, o CDS-PP teve a iniciativa de promover o Programa Regional de Apoio às Sociedades Recreativas e Filarmónicas (SOREFIL), que foi aprovado na Região em 2014. Este apoio representou uma ajuda suplementar para estas coletividades, que são muitíssimo importantes para prosseguir a difusão dos nossos valores identitários e da nossa cultura”, lembrou Andreia Vasconcelos.

No âmbito da pandemia da COVID-19, e em virtude do cancelamento das festividades terceirenses e da consequente perda de receitas, o CDS “procurou corresponder à complexa realidade do universo das Sociedades Recreativas e das Filarmónicas, promovendo medidas excecionais e transitórias de apoio à atividade que desenvolvem. Esperamos que o Governo Regional, as Câmaras Municipais e as Juntas de Freguesia continuem a apoiar as nossas Sociedades Recreativas e as nossas Filarmónicas, porque são instituições merecedoras de reconhecimento público pelo trabalho que desenvolvem na comunidade em que se inserem”, prosseguiu.

Em jeito de conclusão, a candidata do CDS-PP, Andreia Vasconcelos, lembrou que as instituições das freguesias da ilha Terceira podem contar com o trabalho e a dedicação do CDS-PP na Assembleia Regional, nomeadamente no que concerne à defesa e promoção intransigente das nossas tradições e da nossa cultura.

“UNS FALAM, OUTROS FAZEM”, DIZ EXECUTIVO DA JUNTA DE FREGUESIA

O executivo da Junta de Freguesia da Vila Nova repudia totalmente as declarações de Andreia Vasconcelos, que além de candidata às Regionais 2020 é também a presidente da concelhia da Praia da Vitória do CDS-PP.

Em Nota de Esclarecimento publicada esta quarta-feira, na sua página de Facebook, o executivo de freguesia da Vila Nova dá as boas-vindas a Andreia Vasconcelos ao “panorama político”, afirmando “nós estivemos sempre cá, sendo ou não época de eleições”.

Nesse sentido recordam o apoio prestado a todos os vilanovenses e às suas instituições, não só em tempos de pandemia como fora dela.

No caso da Sociedade Filarmónica da Vila Nova, “é muito importante abordamos os assuntos quando temos conhecimento de causa”, refere a nota.

“Em plena crise pandémica, esta Junta de Freguesia não poupou esforços para que toda a sua população e instituições tivessem todo o tipo de apoio, tendo sempre em atenção as suas necessidades e dificuldade”, diz o executivo, acrescentando, “foram criadas parcerias importantíssimas no sentido de salvaguardar o bem estar de todos, principalmente a população considerada de risco”.

Referindo que no auge da pandemia foi atribuído “um apoio extraordinário a todas as coletividades”, de forma a minimizar, dentro do possível e de acordo com a realidade financeira da Junta, o respetivo impacto, o executivo adverte que “em política não vale tudo”, sendo inaceitável que quando Andreia Vasconcelos decide aparecer, “desvalorize o trabalho diário de quem nas juntas de Freguesia desempenhe as suas funções”, rematando, “uns falam, outros fazem”.

© GC-CDS-A | Foto: GC-CDS-A | PE

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s