HORA LEGAL: PORTUGAL JÁ TEVE TRÊS REGIMES HORÁRIOS

Na madrugada do próximo domingo, 28 de março, a hora legal em Portugal muda do regime de inverno para o horário de verão, com os relógios a avançarem 60 minutos. O país volta à hora de inverno no último domingo de outubro, 31, desta vez com os relógios a recuarem os mesmos 60 minutos.

Desde 2000 o regime bianual de mudança da hora legal (atualmente em vigor em Portugal) encontra-se regulado por uma diretiva europeia, a qual destina-se a uniformizar este procedimento em todos os Estados-Membros.

Antes disso, cada país determinava, não só as datas da sua alteração, como os regimes da mesma, que em Portugal chegou a ser trianual.

Entre os anos de 1942 e 1945 os portugueses acertaram os relógios por quatros vezes. Tendo como justificação a II Guerra Mundial e a imperiosa necessidade de poupar eletricidade, à hora de inverno e verão, foi acrescentado a hora de primavera.

Nesses anos os relógios avançaram uma hora na noite de 14 para 15 de março. Voltaram a avançar mais 60 minutos na noite de 25 e 26 de abril. No sentido inverso, recuaram 60 minutos na noite de 15 para 16 de agosto e, por fim, voltaram a recuar mais 60 minutos na noite de 24 para 25 de outubro.

A hora legal ou oficial é determinada pelo Governo ou por outro órgão de soberania para vigorar de forma permanente ou temporária num dados país ou região administrativa, podendo coincidir ou não com o fuso horário da sua localização geográfica. Em Portugal, a exatidão da hora legal está cometida ao Observatório Astronómico de Lisboa (OAL).

Por regra a definição da hora legal de um país tem por base o seu fuso horário em relação ao Tempo Universal Coordenado (UTC), anteriormente designado Tempo Médio de Greenwich (GMT) – fuso horário 0 – definido pelo meridiano com mesmo nome que, em 1884, foi internacionalmente convencionado como o meridiano zero para a medição de longitudes. Desse modo, pretende-se ajustar tanto quanto possível a hora legal à solar, mas não é imperativo que assim seja.

Com efeito, entre o final de setembro de 1992 e o final de março de 1996, por determinação do governo de Cavaco Silva, Portugal adotou o fuso horário da Europa Central (UTC+1 no inverno e UTC+2 no verão). Este horário, completamente desajustado da localização geográfica do país, provocou enorme desconforto nas populações, dado o desfasamento em relação à hora solar de +1:30 no outono/inverno e de +2:30 na primavera/verão. No início do inverno, o sol nascia pelas 9:00 e no início do verão, só anoitecia pelas 22:45. Este horário foi depois abandonado pelo governo de António Guterres.

© PE | Fotos: DR

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s