PS/AÇORES MANIFESTA PREOCUPAÇÃO COM “DESCONTROLO” DA PANDEMIA E APOIA NOVAS MEDIDAS

No âmbito da prorrogação do Estado de Emergência votada esta quarta-feira no Parlamento Açoriano, o Grupo Parlamentar do PS/Açores manifestou a sua preocupação relativamente ao evoluir da pandemia nos Açores e defendeu a implementação de novas medidas.

“Há um conjunto de indicadores que atestam, se não mesmo impõem, a necessidade de arrepiar caminho na abordagem que, nos últimos tempos, tem vindo a ser seguida quanto à monitorização, controlo e combate à pandemia de COVID-19 nos Açores”, refere a declaração de voto entregue pelo presidente do grupo parlamentar.

“Nos últimos 15 dias, o número de casos positivos cresceu 118% em Ponta Delgada; 154% em Vila Franca do Campo, 148% na Lagoa e foi novamente “detetado um caso positivo num lar de idosos dos Açores. Aumentaram também os internamentos derivados da COVID-19 e as cadeias de transmissão ativas, inclusive em ilhas onde há já bastante tempo não se registava qualquer cadeia de transmissão”, refere o documento.

Em relação a Rabo de Peixe, o PS/Açores afirma que a intervenção do Governo dos Açores levanta dúvidas, já que, no início do mês de dezembro se estabeleceram cercas sanitárias “apenas como garantia para a realização da testagem e não como meio de evitar a circulação de pessoas”.

Mais recentemente, acrescenta o documento, “e refletindo o desnorte e desorientação crescentes na atuação face à pandemia”, as autoridades de saúde decidem apenas na véspera do reinício das aulas realizar “testes à comunidade educativa em apenas três escolas da ilha de S. Miguel”, quando estamos perante um quadro epidemiológico que “já gritava, e continua a gritar, por maior cautela, maior rigor e mais cuidado”.

O grupo parlamentar do PS/Açores dá ainda nota do facto de que “em metade do período entre 22 de dezembro e 05 de janeiro, o número de testes realizados pela metodologia PCR-RT, – a mais fidedigna que se conhece”, ter sido inferior a mil. “Estes são dados factuais retirados dos comunicados que são diariamente emitidos. Estes são dados que demonstram que é necessário e urgente mudar a abordagem que está a ser seguida. Estes são dados que demonstram, crua e cruelmente, que a situação não está, nem estável, nem equilibrada…”

Como positivo, refere a declaração de voto, destaca-se “o início do processo de vacinação contra o SARS-CoV-2 nos Açores”. No entanto, entendem os socialistas, o Governo dos Açores “não pode deixar de cerrar fileiras em torno da defesa do bem essencial que é a saúde dos Açorianos”

O documento assinado por Vasco Cordeiro reconhece que durante muito tempo o quadro epidemiológico “foi comparativamente mais favorável nos Açores do que noutras partes do território nacional”, mas considera que agora, se “assiste a um constante e progressivo agravamento generalizado da situação da pandemia nos Açores”.

Para os parlamentares socialistas, fez-se “um trajeto inverso à esmagadora maioria dos países e regiões europeias: enquanto por cá a decisão foi a de flexibilizar medidas durante este período do Natal e, nesse âmbito, desaproveitou-se a existência dessas condições legais para um maior controlo da disseminação da pandemia, noutras regiões e países houve a adoção de medidas mais rigorosas, preparando-se, agora, a retoma gradual da normalidade possível num quadro em que já existe vacina, mas a mesma ainda demorará a produzir efeitos com repercussões coletivas”.

Considerando que “no contexto global da pandemia, a escolha não é entre a saúde pública e a economia”, os socialistas defendem medidas firmes na defesa da saúde pública e “uma abordagem mais determinada de mitigação dos efeitos económicos associados à presente situação de pandemia, com uma ampliação e criação de novos apoios dirigidos aos trabalhadores, às empresas e a diversas instituições da nossa Região, seja na componente de tesouraria, seja na componente de alívio de custos fixos”.

PSD CRITICA “INÉDITO E GROSSEIRO APROVEITAMENTO POLÍTICO” DA SITUAÇÃO PANDÉMICA

Na sequência da declaração do deputado Vasco Cordeiro sobre a atual situação pandémica na Região, o grupo parlamentar do PSD/Açores emitiu um comunicado considerando que as “afirmações do deputado Vasco Cordeiro revelam uma absurda indignação e revolta pela perda do poder regional, agora exercido, de acordo com a maioria do povo dos Açores, por José Manuel Bolieiro”.

“Vasco Cordeiro, numa atitude profundamente lamentável, faz um inédito e grosseiro aproveitamento político da atual situação pandémica na Região Autónoma dos Açores, perdendo, por completo, o sentido de responsabilidade que a circunstância exige”, acusam os parlamentares sociais-democratas.

PSD/Açores recorda “que no início da pandemia, o deputado Vasco Cordeiro, na altura com responsabilidades governativas, recebeu das restantes forças políticas – nomeadamente das que suportam o novo Governo dos Açores – total colaboração e propostas construtivas, forças políticas estas que não hesitaram em colocar os superiores interesses dos Açores acima de quaisquer intrigas político-partidárias”.

Assim, defende o grupo parlamentar do PSD/Açores “exigia-se agora que, enquanto deputado da oposição, Vasco Cordeiro tivesse um comportamento idêntico, retribuindo a elevada e sempre pronta e responsável colaboração que recebeu dos restantes partidos políticos nos primeiros meses da pandemia”.

Pelo contrário, “o deputado Vasco Cordeiro está empenhado em que as coisas corram mal ao novo Governo Regional no combate à pandemia, assumindo uma postura assente no princípio de que o que correr mal para Açores será melhor para o Partido Socialista e para o seu líder”, acusam.

“O deputado Vasco Cordeiro e o Partido Socialista esquecem que o que efetivamente correu mal foi o desleixo a que o anterior Governo votou o combate à pandemia assim que as eleições se aproximavam”, afirmam.

O comunicado recorda ainda “que à data da tomada de posse do novo Governo dos Açores, mais de metade dos casos positivos de COVID-19 na Região ocorreram precisamente após o início da campanha eleitoral”.

Para o PSD/Açores “os últimos tempos da governação socialista nos Açores foram marcados pela estratégia do ziguezague: num dia é autorizada a presença de público nas touradas, no dia seguinte é proibida e no terceiro dia é novamente permitida; numa semana é autorizado público no rali, na semana seguinte o rali é proibido, mas pode realizar-se a prova de ‘trail run’; num dia aprova-se a obrigatoriedade de testes nos voos inter-ilhas, mas no dia seguinte ainda não há laboratórios convencionados”.

“Como se tudo isto não bastasse, os açorianos assistiram ainda – incrédulos – ao abandono de funções por parte do anterior Diretor Regional da Saúde, mais preocupado em ir rapidamente para o parlamento sentar-se na bancada do PS do que em servir os açorianos”, apontam.

“Este foi o grave cenário deixado pela governação de Vasco Cordeiro e do PS, que chegou ao ponto de ocultar a existência de transmissão comunitária nas ilhas de São Miguel e Terceira”, disparam.

Apesar de tudo isto, defendem os sociais-democratas, “o novo Governo Regional assumiu o controlo da situação. As recentes testagens em massa em Rabo de Peixe e Vila Franca do Campo, constituem bons exemplos do que deve ser uma atuação determinada e adequada. Sem desertar da causa da saúde pública – como faz agora o Partido Socialista – e sem arranjar desculpas, o novo Governo tem agido de forma célere e continuará a tomar as medidas mais adequadas a cada momento”.

“O deputado Vasco Cordeiro, agora tão empenhado em atacar o novo Governo dos Açores liderado por José Manuel Bolieiro, é o mesmo que se revelou politicamente impotente quando o Governo da República de António Costa o ignorou e recusou fechar os aeroportos dos Açores no início da pandemia”, denunciam.

“Face aos desafios que a Região enfrenta neste momento do combate à pandemia, o grupo parlamentar do PSD apela ao deputado Vasco Cordeiro e ao Partido Socialista para que comecem a ter uma postura responsável e construtiva, colocando os interesses do Povo dos Açores acima do medíocre enredo político-partidário”, incitam.

PS/AÇORES REPUDIA ATAQUES DO PSD E INSISTE NA NECESSIDADE DE CONTROLAR A PANDEMIA

Também em comunicado, o grupo parlamentar do PS/Açores responde ao PSD/Açores repudiando “os ataques pessoais e grosserias proferidas pelo PSD e insiste na importância de todos se focarem na defesa da saúde dos Açorianos, face à pandemia provocada pela Covid-19”.

“O PSD Açores não desmente nenhum dos dados que constam da declaração entregue pelo grupo parlamentar do PS/Açores, esta quarta-feira, na Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores”, dizem os parlamentares socialistas.

“O PSD Açores não desmente nenhuma das preocupações manifestadas pelo presidente do grupo parlamentar relativamente à evolução do quadro epidemiológico na Região”, notam.

“A realidade incomoda e perturba este PSD. Em vez de, com humildade, reconhecer que é preciso alterar a abordagem que tem vindo a ser seguida, o PSD dispara sobre o mensageiro”, acusam.

“O PSD, a única coisa que fez, foi proferir ataques infundados, indelicados e que em nada dignificam o confronto ideológico que é legitimo em democracia”, acrescentam.

“Para grosserias deste género o PSD não contará nunca com o Partido Socialista. Para a defesa acérrima da saúde e dos seus legítimos interesses os açorianos contam, e contarão sempre com o PS/Açores”, concluem.

© GPPSA/GPPSDA | Foto: GPPSA | PE

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s