ANIVERSÁRIO DO CONSELHO MUNDIAL DAS CASAS DOS AÇORES FOI MOMENTO DE AFETO E CELEBRAÇÃO, DIZ PRESIDENTE DO GOVERNO

O Presidente do Governo Regional dos Açores, José Manuel Bolieiro, presidiu no domingo, na Horta, à sessão comemorativa dos 25 anos da fundação do Conselho Mundial das Casas dos Açores (CMCA), um “magnífico momento de afeto e celebração”.

As Casas dos Açores, sublinhou o governante, são a “extensão” das casas de cada açoriano ou açordescendente, e abarcam consigo um “sentimento de pertença, identidade e referencia cultural”.

Na ocasião, o Presidente do Governo adiantou ter a “ambição” de, em revisão da Constituição, garantir o voto dos emigrantes açorianos nas eleições legislativas regionais.

“Trabalharemos para este devir, que aproxima. Trata-se de um reforço de identidade e de presença”, sustentou.

No evento tido na cidade da Horta estiveram presentes alguns dos representantes das Casas dos Açores em todo o mundo, para além de Alzira Silva, que foi a primeira Diretora Regional das Comunidades e fundadora do CMCA, e de Rúben Santos, ex-Presidente da Casa dos Açores do Algarve e representante dos fundadores do Conselho.

A sessão decorreu em regime misto, com a participação presencial ou virtual dos presidentes das 15 Casas dos Açores que se encontram associadas em Portugal, Brasil, Estados Unidos da América, Canadá, Uruguai e Bermuda.

O Conselho Mundial das Casas dos Açores foi fundado a 13 de novembro de 1997, em reunião realizada na então Pousada de Santa Cruz, na cidade da Horta, com a participação das Casas dos Açores de Lisboa, Rio de Janeiro, Califórnia, Quebeque, Norte, São Paulo, Toronto, Nova Inglaterra, Algarve e Coimbra.

Este órgão, simbolicamente representativo da açorianidade no mundo, tem como objetivo desenvolver atividades que contribuam para a afirmação dos Açores e da sua diáspora, e para o incremento das relações sociais, culturais e económicas entre o arquipélago e as regiões de implantação das Casas dos Açores.

Com uma presidência rotativamente assumida entre os seus membros e atualmente exercida pela Casa dos Açores de Santa Catarina, este Conselho reúne anualmente em assembleia-geral presencial para, entre outras competências, debater a atividade e os desafios das Casas dos Açores, deliberar sobre a atribuição de medalhas de mérito ou apreciar as propostas de admissão de novos membros.

© GRA | Foto: MM | PE