APOIOS PARA COMBATER A INFLAÇÃO: O GOVERNO DA REPÚBLICA FEZ A SUA PARTE, AGORA É PRECISO QUE O GOVERNO REGIONAL FAÇA A SUA, DEFENDE VASCO CORDEIRO

“O recente pacote de medidas de apoio às famílias apresentado pelo Governo da República constitui um forte e muito importante contributo para ajudar a ultrapassar a conjuntura atual caracterizada por um aumento generalidade de bens, consequência de um grande aumento da inflação”, considerou Vasco Cordeiro, Presidente do PS/Açores, citado em nota do partido, em reação às medidas apresentadas segunda-feira pelo Primeiro-Ministro, António Costa.

“As medidas decididas, e muito bem, pelo Governo da República do Partido Socialista beneficiarão também as famílias açorianas através, desde logo, da ajuda financeira direta e das prestações extraordinárias das pensões. Isso é um sinal fortíssimo de solidariedade do Governo da República para com os Açorianos e Madeirenses”, acrescentou o líder socialista.

“Mas é necessário que, da mesma forma que o Governo da República do PS decidiu restituir aquilo que, em virtude da inflação, são receitas fiscais para além do esperado, o Governo Regional dos Açores também tem de restituir às famílias e empresas açorianas, as receitas que está a ter a mais pelo mesmo motivo. A decisão do Governo da República evidencia, de forma flagrante, a omissão e a ausência do Governo Regional dos Açores dessa tarefa muito urgente.”, considerou Vasco Cordeiro.

“Se virmos o montante mensal de transferências de receitas de IVA para o Governo Regional, a estimativa é que o Governo Regional obtenha mais cerca de 50 milhões de euros de receitas quando comparado com 2021. O que o PS/Açores defende é que esse montante deve reverter para as famílias e empresas açorianas através de medidas de apoio que o Governo Regional teimosamente, ainda não adotou. Só até julho, as receitas que o Governo Regional obteve a mais do que em 2021, ascende a cerca de 18.5 milhões de euros.”, salientou o líder do PS/Açores.

Desde março que o PS/Açores vem insistindo com a necessidade do Governo Regional tomar medidas para apoiar as famílias açorianas a fazer face ao aumento da inflação, nomeadamente, no âmbito da redução do Imposto sobre os Combustíveis, apoio às famílias mais carenciadas e criação de programas dirigidos às empresas tendo em vista fazer face ao aumento dos custos e para garantir a manutenção de preços finais.

© PS/A | Foto: PS/A | PE