UCRÂNIA: BE/AÇORES QUESTIONA GOVERNO REGIONAL SOBRE ACOLHIMENTO DE REFUGIADOS

O BE/Açores questionou esta terça-feira o Governo Regional sobre os procedimentos e os mecanismos em vigor para o apoio e acolhimento aos refugiados ucranianos no arquipélago, apontando “falhas”.

Num requerimento entregue na mesa da Assembleia Legislativa Regional dos Açores é referido que a estrutura da ilha do Faial do Bloco “teve conhecimento de uma falha no apoio à deslocação de refugiados ucranianos para os Açores”.

Segundo o BE/Açores, “apesar de o Governo Regional e a autarquia da Horta terem sido contactadas, só o apoio financeiro de um cidadão faialense desbloqueou o transporte de uma família de refugiados de Lisboa para a Horta”.

No documento, o BE/Açores solicita que o Governo Regional “clarifique os procedimentos e os mecanismos em vigor para o apoio e acolhimento aos refugiados ucranianos” no arquipélago, considerando que “a comunicação por parte das entidades contactadas não tem sido clara, nem pronta, nem proativa na procura de soluções e na criação de condições para a receção destes refugiados”.

O Bloco quer ainda saber que “entidade, ou entidades, são responsáveis especificamente pelo apoio à deslocação de refugiados para a região, pelo apoio à habitação, pelo apoio na procura de emprego, pelo apoio à integração escolar, pelo apoio no ensino de português e pelo apoio psicológico”.

Aquela força política quer ainda apurar “qual é a entidade que centraliza estes processos e presta acompanhamento de proximidade a estas famílias”.

O BE/Açores defende “uma comunicação clara e uma efetiva distribuição e assunção de responsabilidades no apoio a estas populações”, salientando que são aspetos essenciais para “oferecer condições de acolhimento de forma pronta”, poupando os refugiados “ao aumento de incerteza, instabilidade e receios em relação ao futuro que a sua situação já acarreta”.

O Bloco apela também ao presidente da Câmara Municipal da Horta para “encetar todos os esforços no sentido de garantir uma resposta proativa e atempada de todas os casos de refugiados que entrem em contacto com a autarquia”.

© Lusa | PE

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s