AUTÁRQUICAS 2021 — BERTO MESSIAS (PS): “O FUTURO DA PRAIA PASSA PELA SUA BAÍA”

Berto Messias, 39 anos, natural de Santa Cruz e residente na freguesia do Porto Martins, é o candidato do PS à presidência da Câmara Municipal da Praia da Vitória nas eleições autárquicas do próximo dia 26 de setembro. Com frequência dos cursos de licenciatura em Relações Internacionais e Direito na Universidade de Coimbra, Berto Messias foi membro do Governo Regional dos Açores na última legislatura, onde exerceu as funções de secretário regional Ajunto da Presidência e dos Assuntos Parlamentares, sendo também o porta-voz do Conselho do Governo. Presentemente, exerce a função de deputado na Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, integrando a bancado do grupo parlamentar do PS.

Nesta entrevista, referindo-se ao contexto de surgimento da sua candidatura, Berto Messias declara que a principal motivação do projeto que lidera “é o futuro da Praia da Vitória” e que dirá presente “sempre que a minha terra precisar de mim”. Assumindo que o futuro da Praia da Vitória “passa pela sua baía”, Berto Messias, apresenta-se com a determinação e com coragem para a reordenar e trazer de volta um dos seus maiores patrimónios naturais — os areais. Não descartando qualquer projeto futuro que traga emprego e economia, diz que sua implementação nunca poderá por em causa a sustentabilidade dos areais. Mas se a baía é o “epicentro” do seu projeto autárquico, ele não se esgota aí. Berto Messias quer criar as condições para que “as pessoas se desloquem e queiram ir para o centro”, assim como elaborar um plano a médio prazo de investimentos num conjunto de infraestruturas essenciais ao desenvolvimento da Praia da Vitória, aproveitando de forma capaz e competente os fundos de âmbito europeu. O candidato socialista à Camara da Praia diz que os próximos quatro anos “têm de ser de reformulação, reorganização e evolução positiva” e apresenta-se disponível para “trabalhar conforme a vontade do povo”.

Nas últimas eleições Autárquicas, em 01 de outubro de 2017, o PS obteve 5.346 (55,65%) votos na candidatura para a Câmara Municipal e 5.039 (52,46%) na lista concorrente à Assembleia Municipal. Elegeu cinco vereadores e 12 deputados municipais. O PS lidera a Câmara Municipal da Praia da Vitória há 16 anos.

“A principal motivação é o futuro da Praia da Vitória”

Praia Expresso (PE) — Quais foram as principais motivações que o levaram a candidatar-se à presidência da Câmara da Praia, tendo em conta que a sua candidatura surge após a “indisponibilidade” revelada por Tibério Dinis para liderar o projeto autárquico do PS na Praia da Vitória?
Berto Messias (BM) — A principal motivação é o futuro da Praia da Vitória. Sempre que a minha terra precisar de mim, cá estarei. Nunca disse que não aos desafios que envolvam um contributo sério e empenhado para ajudar o desenvolvimento do Concelho onde nasci, onde resido e onde constitui família. Não seria agora que o ia fazer. Encaro isso com uma grande honra.

“Temos um projecto ambicioso que tem como epicentro a Baía”

PE — Propõe uma estratégia de valorização da baía da Praia da Vitória reordenando-a. Diz que um executivo liderado por si olhará para a baía “como um todo”. Questões como o cais de cruzeiros, o transshipment e a velha questão do GNL têm lugar nessa nova visão?
BM – Temos um projecto ambicioso que tem como epicentro a Baía. É preciso coragem para avaliar o seu ordenamento actual e fazer as alterações que são necessárias. É tempo de perceber os impactos em termos de qualidade da água e de fluxo de areias, dos custos anuais permanentes dos processos de desassoreamento e de dragagens de areias e o que isso implica na qualidade dos areais, bem como de que forma podemos repor areais que se perderam como é o caso da Praia dos Sargentos e da Praia dos Oficiais. Alem disso, a capacidade de trazer mais eventos para a Baía e para o areal, bem como a criação de infraestruturas de apoio como um Centro de Treino de Mar são projectos que pretendemos materializar. O futuro da Praia passa pela sua Baía, indiscutivelmente, temos de perceber isso e ter a coragem de tomar as decisões necessárias, como por exemplo assumir a possibilidade de deslocalizar a Marina da Praia do local onde está. Quanto aos projectos que refere, como sabe são projectos da responsabilidade do Governo Regional e tudo o que sejam projectos que acrescentam e trazem mais-valias ao nível do emprego e da revitalização económica são muito bem vindos. O que exigimos é que sejamos sempre ouvidos sobre os mesmos e que a sua implementação não ponha em causa uma das nossas maiores riquezas como são os nossos areais e a baía da Praia.

“Cabe-nos criar condições para que as pessoas se desloquem e queiram ir para o centro”

PE — Revelou-se disponível para proceder à reabertura ao trânsito da rua de Jesus. Defende também a criação de uma montra online para os comerciantes do centro histórico exporem os seus produtos, sendo que a compra seria feita presencialmente. Acredita que a dinamização comercial e social do centro histórico se resolve com estas duas medidas? Ou é algo bem mais estrutural, por um lado, relacionado com a crise demográfica e, por outro, da expansão geográfica da própria cidade?
BM – Os hábitos de consumo e hábitos de mobilidade das pessoas alteraram-se radicalmente nos últimos anos. Além disso, as estratégias de descentralização de serviços por todo o Concelho e de digitalização dos serviços prestados contribuem muito para o abrandamento da presença nos centros. Hoje, resolvemos tudo com aplicações de telemóvel, sem sair de casa.
Temos de olhar com atenção para esses fenómenos e criar condições para aumentar a mobilidade dentro do nosso centro urbano, revitalizando o comércio e criando espaços de usufruto associados ao lazer, à economia local e à mobilidade. A abertura ao trânsito da Rua de Jesus, num período experimental de um ano, entronca nessa perspectiva mas enquadrada num plano de mobilidade que leve as pessoas ao centro, criando estruturas que potenciem a presença e usufruto desses espaços. As medidas que refere serão contributos que pretendemos dar no âmbito dessa redinamização que acreditamos ser possível. As cidades não se fazem e não crescem sem gente. Cabe-nos criar condições para que as pessoas se desloquem e queiram ir para o centro. É isso que faremos, com essas duas medidas que refere na sua questão, mas com uma abordagem mais vasta, potenciando os edifícios camarários existentes e dinamizando eventos que levem a isso.

“A Praia precisa de novas infraestruturas que potenciem crescimento e emprego”

PE — Elencou um conjunto de infraestruturas necessárias à Praia da Vitória, nomeadamente um pavilhão multiusos, um novo mercado municipal, novas zonas empresariais, um centro interpretativo do Ramo Grande, entre outras. Estes são projetos para realizar no espaço de quatro anos?
BM – São projectos de longo prazo que entroncam na nossa necessária capacidade de aproveitar os fundos disponíveis de âmbito europeu, bem como parcerias de financiamento quer com privados quer com outras entidades, enquadradas na presença norte-americana na Praia da Vitória. As bases para isso têm de ser criadas já, através da elaboração de um Plano de Desenvolvimento local que inclua esses investimentos Não posso garantir que isso seja feito em 4 anos. Estaria a mentir se o dissesse. Mas com as perspetivas de financiamento externo que temos, acreditamos que esses investimentos são enquadráveis e os procedimentos para a sua construção tem de começar já, tendo em conta a sua capacidade de transformar o Concelho para melhor. A Praia precisa de novas infraestruturas que potenciem crescimento e emprego. Essas darão respostas importantes nesse sentido e trarão mais valias significativas.

“Os próximos 4 anos têm de ser de reformulação, reorganização e evolução positiva”

PE — Caso mereça a confiança dos praienses e seja o próximo presidente da Câmara da Praia como vê a cidade e o concelho daqui a quatro anos?
BM – Melhor do que hoje. Os próximos 4 anos têm de ser de reformulação, reorganização e evolução positiva. Em suma, que garantam a melhoria do que está na base de todo o nosso projecto, ou seja, mais qualidade de vida no Concelho da Praia da Vitória, nas suas diversas vertentes, emprego, habitação, educação, protecção social, redução da taxa de esforço financeiro das famílias, contexto mais favorável para a actividade empresarial e captação de eventos que tragam mais valias e riqueza para o Concelho. Só assim, estaremos melhores daqui a 4 anos.

“Trabalhar conforme a vontade do povo”

PE —Por fim, em termos eleitorais, e sendo certo que concorre como todos os restantes candidatos para ganhar, como atuará perante um cenário de vitória com maioria relativa?
BM — Não faço futurologia nem antecipo cenários. Quem se candidata a cargos públicos sabe que está sujeito à vontade do povo. E tem de estar disponível para, depois das eleições, trabalhar conforme a vontade do povo. É isso que farei.

FACEBOOK: PÁGINA DA CANDIDATURA

© PE

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s