COVID-19: REGRESSAM OS TESTES OBRIGATÓRIOS PARA OS PASSAGEIROS DE S. MIGUEL NAS VIAJENS INTER-ILHAS

O secretário regional da Saúde e Desporto revelou hoje que a partir das 00:00 horas do próximo sábado, 06 de março, volta a ser obrigatório a apresentação de teste covid-19 negativo para todos os passageiros que viajam de São Miguel para as outras ilhas.

“De acordo com a evolução [epidemiológica] desta semana dos níveis de risco, será necessária a realização de testes para as viagens a partir de São Miguel para as outras ilhas, a partir das 00:00 horas de sábado”, disse Clélio Meneses.

O governante falava em Angra do Heroísmo, em conferência de imprensa de atualização dos níveis de risco e das medidas adotadas pelo executivo no combate à pandemia covid-19 no arquipélago.

Segundo disse, a obrigatoriedade dos testes para os passageiros com origem na ilha de São Miguel resulta da aplicação do decreto presentemente em vigor, que regula o estado de emergência na Região, o qual determina esta obrigatoriedade “sempre que exista um concelho em Alto Risco”.

No sistema de níveis de risco epidemiológico implementado pela Autoridade de Saúde Regional e com atualização semanal à quinta-feira, o concelho da Ribeira Grande é o único nos Açores em “Alto Risco”, já que foram diagnosticados nos últimos 7 dias 149 casos positivos. Estes números advém sobretudo dos casos diagnosticados na vila de Rabo de Peixe, que mantendo-se com cerca sanitária, faz com que o Governo Regional aplique ao concelho as medidas previstas para os concelhos de “Médio Risco”.

Ainda de acordo com a avaliação semanal de Risco Epidemiológico, o concelho da Lagoa, ao registar 35 casos nos últimos 7 dias, sobe para “Baixo Risco” enquanto todos os restantes concelhos do arquipélago se situam no nível de alerta de “Muito Baixo Risco”.

VACINA ASTRAZENECA

Relativamente à dúvida suscitada ontem quanto à aptidão para administração do lote de vacinas da AstraZeneca chegado à Região, devido as questões relacionadas com a temperatura necessária para a sua boa conservação, o secretário disse que a dúvida “já está esclarecida e as 8.500 vacinas que chegaram ontem aos Açores já podem ser administradas”.

Segundo adiantou, as vacinas vão ser inoculadas a doentes com mais de 50 anos com diversas patologias, aos profissionais de saúde do sector privado e às forças de segurança, já que é desaconselhável a sua administração a pessoas com mais de 65 anos.

Clélio Meneses informou ainda, que no próximo dia “15 de março está previsto a chegada de mais 5.850 doses”.

“Estava previsto que fosse o dobro, mas mais uma vez, aquilo que é previsto e anunciado que chega aos Açores, não chega nem no tempo nem na quantidade desejável e prevista”, lamentou.

© PE | Foto: DR