SELO SANITÁRIO “COVID FREE” DA CÂMARA DA RIBEIRA GRANDE NÃO É RECONHECIDO PELA AUTORIDADE DE SAÚDE REGIONAL

A Câmara da Ribeira Grande (CRG), anunciou esta semana, que vai “reconhecer as empresas do concelho que cumpram as recomendações da Direção-Geral da Saúde e Autoridade Regional de Saúde no que à limpeza, higienização e cumprimento das normas de segurança diz respeito para efeitos de reabertura ao público de modo gradual e progressivo”.

A garantia de que o estabelecimento cumpre com as normas recomendadas será feita através da afixação de um selo que deverá ser afixado pelos comerciantes em local visível. No selo poder-se-á ler a inscrição “Covid free – instalações higienizadas e seguras.”

“A distribuição do selo pelos comerciantes da Ribeira Grande pretende transmitir e reforçar o sentimento de segurança junto dos clientes. É uma medida que atesta que o estabelecimento cumpre com as normas instituídas”, explicou Alexandre Gaudêncio.

O presidente da Câmara da Ribeira Grande revelou que a “abertura do comércio no concelho será feita por fases” e anunciou que os comerciantes “serão convidados a participar numa formação que os orientará sobre os procedimentos a adotar.”

A formação será repartida por áreas, nomeadamente restauração/hotelaria, comércio/serviços e estética/salões de beleza. A formação, gratuita, será ministrada online através do sistema webinar e é indispensável para que cada comerciante possa receber o selo “Covid free – instalações higienizadas e seguras” para o seu estabelecimento.

AUTORIDADE DE SAÚDE REGIONAL NÃO VALIDA SELO

No briefing diário de ontem, de atualização de informação sobre a pandemia COVID-19 nos Açores, o responsável máximo pela Autoridade de Saúde Regional (ASR), Tiago Lopes, foi questionado, pelos jornalistas, sobre esta iniciativa camarária, tendo afirmado que a ASR não foi consultada e, por conseguinte, desconhece a iniciativa, não podendo desse modo validar.

“O selo diz que segue as recomendações da Direção-Geral de Saúde. Nós estamos na Região Autónoma dos Açores, dotada de estatuto político e administrativo próprio, região essa, para a qual a ASR, as autoridades de saúde concelhias e eu próprio, definimos uma estratégia diferente daquela seguida ao nível do território continental”, começou por responder o também diretor regional da Saúde.

“O que seria recomendável por parte dos diferentes municípios e neste caso do município em questão, atendendo até que já criticou o facto de não haver articulação com ASR, é que nos tivesse consultado e sem qualquer tipo de problema teria um selo ‘covid free’ fazendo alusão precisamente às recomendações da ASR”, salientou.

“Não tenho conhecimento e, portanto, não posso validar qualquer iniciativa desse âmbito, mas estou, como sempre estive, disponível para reunir e discutir com os responsáveis as melhores opções para fazer o dito regresso à nova normalidade”, concluiu.

ALEXANDRA GAUDÊNCIO LAMENTA DECLARAÇÕES DE TIAGO LOPES

Ainda ontem, em publicação no site da autarquia, o presidente da CRG, Alexandre Gaudêncio, lamentou as declarações proferidas por Tiago Lopes.

“Lamento as palavras proferidas pelo diretor regional da Saúde e responsável pela ASR. São palavras que colocam em causa o projeto e a iniciativa do município que visam ajudar o tecido empresarial local”, disse o autarca.

Alexandre Gaudêncio recordou que a opção de atribuir um selo “Covid free” aos comerciantes do concelho visa “promover o sentimento de segurança nos seus empresários e, desta forma, promover o consumo nos seus estabelecimentos comerciais.”

Acrescentou ainda que, para o efeito, “estão a ser planeadas ações de sensibilização on-line, através do sistema webinar, no decorrer da próxima semana, com material de apoio aos empresários e com as recomendações de várias fontes, nomeadamente da Direção Geral da Saúde e da Direção Regional de Saúde.”

O presidente da CRG explicou ainda que “optamos por colocar no selo a Direção Geral de Saúde atendendo a que, quando o espaço aéreo reabrir, os turistas do mercado interno (continente português), mais facilmente reconhecem a entidade em questão.”

“Como qualquer opção que é tomada pelo município na área da saúde, colocamos a par o delegado de saúde concelhio sobre esta iniciativa, tendo inclusive sido convidado para participar nas ações de formação em questão”, acrescentou.

Alexandre Gaudêncio recordou que “o município da Ribeira Grande tem sido pioneiro em várias iniciativas que têm por objetivo diminuir o impacto da covid-19 no concelho e, desta forma, não aceitamos a forma leviana e de desprezo com que o diretor regional da Saúde e responsável pela Autoridade de Saúde dos Açores se dirigiu à autarquia.”

O edil lembrou, a propósito, que “há pouco tempo, numa reunião restrita com os presidentes de câmara de São Miguel, o próprio diretor regional referiu que as iniciativas locais não necessitavam de ir ao conhecimento da Direção Regional de Saúde, mas apenas às autoridades de saúde concelhias, nas pessoas dos seus delegados de saúde. Foi isso que fizemos e continuaremos a fazer.”

Alexandre Gaudêncio concluiu frisando que “a CRG não deixará de lutar pelos interesses da sua população, neste caso em particular, dos seus empresários, principalmente nesta altura em que todos necessitam estar em sintonia e não inventar casos onde não existem.”

CRG/PE

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s