USISM COM NOVA MODALIDADE DE CONSULTA EXTRA

A Unidade de Saúde de Ilha de São Miguel (USISM), conta, a partir de segunda-feira, com a Consulta Extra do Dia, que visa reforçar os cuidados primários na ilha e tornar mais célere o acesso dos utentes de saúde.

Presente na abertura, o Secretário Regional da Saúde e Desporto disse que a iniciativa se destina às pessoas que “não tenham acesso ao médico de família, ou manifestem doença aguda, de gravidade moderada, estando disponível de segunda a sexta-feira, entre as 17h00 e as 22h00””.

“O que sabemos é que mais de 60% das pessoas que se dirigem à urgência hospitalar não apresentam situações de gravidade”, frisou Clélio Meneses, aconselhando os utentes a dirigirem-se à USISM para agendarem a sua consulta do dia.

O governante releva também a perspetiva tranquilizadora da iniciativa “na medida em que demonstra o reforço dos cuidados assistenciais, e um reforço da proximidade da prestação desses cuidados”.

A Consulta Extra do Dia na USISM será uma resposta para 30 doentes diariamente, com dois médicos disponíveis no horário indicado.

O titular da pasta da Saúde do Executivo regional saudou os médicos “que se disponibilizaram, extra-horário, para prestarem mais este serviço na USISM”.

Clélio Meneses frisa que “o processo poderá ser alargado ao fim-de-sema na USISM, bem como a outras localidades da ilha”.

A este propósito lembrou que “presentemente, qualquer cidadão de são Miguel, mesmo sendo de outro concelho, pode dirigir-se até à meia-noite a qualquer unidade de urgência, em todos os centros de saúde”.

“No caso da Povoação, o centro de saúde está aberto 24 horas por dia e, nos outros, está aberto até à meia-noite, mas qualquer cidadão que tenha uma situação aguda de doença de gravidade moderada pode dirigir-se a uma qualquer unidade de saúde, se calhar de uma forma mais rápida, mais ágil, do que se dirigirem todos às urgências hospitalares”, reforçou.

O governante recordou que “até 2014, houve serviço de atendimento permanente nos vários centros de saúde, com possibilidade de realizar exames clínicos de Raio-X, mas deixou de existir, e agora estamos aqui numa fase de retomar progressivamente esta oferta para que os utentes tenham melhor resposta”.

“De 2014 para agora, são cerca de oito anos, houve uma concentração no Hospital e estamos a lidar com essa dificuldade, decorrente dessa concentração. Estamos agora numa fase de voltar a reabrir as a oferta de prestação de cuidados, de forma que as pessoas tenham acesso à saúde, conforme necessitam”, frisou.

© GRA | Foto: SRSD | PE