CHEGA ALERTA PARA FALTA DE CONDIÇÕES NO PORTO DE PESCAS DE PORTO FORMOSO

O Chega/Açores alertou para “a falta de condições” no porto de pescas de Porto Formoso, na ilha de São Miguel, e solicitou esclarecimentos ao Governo Regional quanto a um plano de intervenção na infraestrutura.

Segundo o deputado do Chega no parlamento regional, José Pacheco, que visitou o porto de pescas localizado no concelho da Ribeira Grande, esta quarta-feira, em causa estão, essencialmente, “falta de condições de trabalho com que se deparam, todos os dias, as seis embarcações de pesca profissional” e barcos de recreio.

“Estamos a falar de um porto de pescas que sofreu obras de beneficiação e que, desde 2011, não tem condições de trabalho dignas”, assinalou José Pacheco, citado numa nota de imprensa.

De acordo com o parlamentar, os pescadores “queixam-se de falta de eletricidade e de água no porto de pescas, bem como nas casas de aprestos, o que dificulta o trabalho dos homens do mar”.

“Custou cerca de um milhão de euros e foi inaugurado em 2011, mas continua a não reunir as condições adequadas para os pescadores profissionais que operam naquele porto”, refere o partido.

No porto estão atracados “seis barcos de pesca profissional e o triplo de barcos de recreio”, segundo o Chega, lamentando que “não” existam, no local, “instalações sanitárias, bem como eletricidade e água”.

Perante isso, o Chega anunciou que entregou na Assembleia Legislativa Regional um requerimento no qual, entre várias questões, pergunta ao Governo Regional (PSD/CDS-PP/PPM) se tem “algum plano de intervenção” no porto de pescas.

O deputado do Chega pretende ainda saber porque motivo, aquando da intervenção, não foram asseguradas ligações elétricas em todo o porto, canalização de água e instalações sanitárias no local.

José Pacheco pergunta ainda se o Governo Regional dos Açores e a Secretaria Regional do Mar e Pescas “estão a par dos problemas no porto de pescas de Porto Formoso”.

© CH/A | Foto: CH/A | PE