TSD/AÇORES DESTACAM MENOR NÚMERO DE INSCRITOS NOS CENTROS DE EMPREGO DESDE 2010

O presidente dos TSD/Açores Joaquim Machado destacou o número de inscritos mais baixo nos Centros de Emprego desde 2010, segundo dados divulgados pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional, “uma redução de 14%, alcançada desde a tomada de posse do Governo da Coligação (PSD, CDS/PP e PPM)”.

“Há 12 anos que os Açores não registavam um número tão baixo”, realçou o líder dos trabalhadores social-democratas, citado em nota do Gabinete de Comunicação do PSD/Açores enviada esta quarta-feira às redações, para quem “esse registo é ainda mais significativo se se considerar que também vem sendo reduzida a integração de desempregados nos programas de ocupação temporária”.

“É preciso recuar a outubro de 2010 para encontrar um valor semelhante e isso prova que a retoma económica e as medidas de promoção do emprego estão a dar bons resultados”, realçou Joaquim Machado.

O presidente dos TSD/Açores elogiou a nova medida governamental de apoio à contratação anunciada esta semana, o programa TURIS.ESTÁVEL, que disponibiliza às empresas do setor turístico um conjunto de ajudas para a integração de trabalhadores nos seus quadros, complementadas com um plano de formação.

Para Joaquim Machado, “a iniciativa não só vem dar resposta às dificuldades de recrutamento no setor do turismo, marcado pela sazonalidade, como ao mesmo tempo resolve o fim dos programas ocupacionais”.

O dirigente da organização autónoma do PSD/Açores saudou os critérios de atribuição dos apoios por trabalhador, que “garantem a estabilidade e dignidade do emprego, por via do valor do apoio em razão do vencimento pago”.

O apoio a atribuir à entidade empregadora pode atingir os 36 mil euros por cada novo trabalhador contratado, em função do salário pago pela empresa.

O novo programa, cujas candidaturas arrancaram a 21 de junho, permite inclusivamente a conversão dos contratos de trabalho para aqueles que já integrem os quadros.

No caso dos trabalhadores que virem os seus contratos de trabalho convertidos, terão de frequentar 100 horas de formação, cuja verba a atribuir poderá chegar aos 17.776 euros.

O Governo Regional espera que as medidas implementadas beneficiarão 700 trabalhadores, desde desempregados integrados em programas ocupacionais ou estágios, cumulável com o incentivo à procura ativa de trabalho, o PRO.ATIVO.

Joaquim Machado entende que “o novo programa demonstra bem o esforço do Governo Regional no sentido de alavancar a taxa de emprego da Região, sem esquecer a importância que os rendimentos assumem como garantia de melhor qualidade de vida dos açorianos”, finalizou.

© PSD/A | Foto: PSD/A | PE