BASE DAS LAJES CONTINUA A SER INDISPENSÁVEL NA PRESERVAÇÃO DA PAZ, DEFENDE VICE-PRESIDENTE

O vice-presidente do Governo Regional dos Açores, Artur Lima, defendeu na terça-feira que a Base das Lajes “continua a ser um recurso indispensável para a defesa do mundo ocidental e para a preservação da paz”.

“Essencial durante todo o século XX, a Base das Lajes pode, no contexto geopolítico mundial atual, reassumir um papel determinante ao nível de segurança e defesa”, considerou o vice-presidente, citado em nota publicada no portal do Governo.

Artur Lima falava na sessão de abertura do II Curso de Segurança Marítima, promovido pelo Centro do Atlântico, e que decorreu na Base Aérea n.º 4, nas Lajes.

Na ocasião, o governante lembrou que “tanto ontem, como hoje, a centralidade do arquipélago, associada à vastidão da sua Zona Económica Exclusiva, ao ativo geopolítico que é a Base das Lajes e à potencialidade dos seus recursos” configura “uma oportunidade renovada para Portugal, para a Europa e para o mundo”.

“O que os Açores procuram hoje, com a sua participação no sistema internacional, é assegurar que desenvolvimento regional também possa ser impulsionado a partir do aproveitamento cabal do potencial geoestratégico e geopolítico da Região”, salientou.

Na ótica do governante é preciso “ir mais além” e “aprofundar o estudo sobre esse potencial”, garantindo que “a partir dele possa haver retorno económico efetivo para a nossa terra”.

A estratégia passa, segundo Artur Lima, por maximizar esse potencial geoestratégico com “planeamento” e por “via de investigação científica adequada”.

“É assim, com base na ciência, na investigação, no conhecimento e na inovação que poderemos dar um passo em frente no desenvolvimento dos Açores, aproveitando aquilo que a história e a geografia nos legaram”, referiu.

“Porque a valorização da nossa geocentralidade atlântica é um desafio que deve merecer a nossa melhor atenção, para que possa ser concretizado na íntegra. E não haja dúvidas, de que serão imensos os ganhos que podem advir dos nossos ativos estratégicos”, finalizou.

O II Curso de Segurança Marítima sob o tema “Segurança Marítima e Segurança Humana”, tem lugar na Base Aérea n.º 4, na ilha Terceira, e conta com a presença de cerca de 30 formandos de diferentes países atlânticos.

Esta segunda edição do curso é organizada pelo Centro do Atlântico, em parceria com o Instituto de Defesa Nacional, o Comité para a Perspetiva de Género da Nato e o Ministério da Defesa dos Camarões, decorrendo até sexta-feira.

© GRA | Foto: VPG/GRA | PE