PSD/PRAIA DA VITÓRIA VALORIZA “SENSATEZ” DO GOVERNO REGIONAL NO PROJETO TERCEIRA TECH ISLAND

Em nota de imprensa, O PSD/Praia da Vitória valorizou esta quinta-feira a “sensatez” demonstrada pelo Governo Regional face ao projeto Terceira Tech Island (TTI), sublinhando que o executivo “já afirmou a sua intenção clara de continuar a investir naquele tipo de oferta formativa”.

Os social-democratas da Praia da Vitória, liderados por César Toste, lamentam, por outro lado, “a postura promotora da desinformação assumida pelo Partido Socialista, que nunca teve um caminho estratégico para o TTI, e que agora se limita a debitar inverdades sobre o trabalho que está a ser desenvolvido face ao futuro do projeto”.

A 03 de maio, em conferência de imprensa, o PS/Terceira acusou o Governo de coligação PSD/CDS-PP/PPM de “inércia” no apoio ao projeto TTI, exemplificando com os cerca de trezentos candidatos que concorrerem para formação de programadores a iniciar em 2022, e cujo o grupo final de selecionados “obteve a notícia de que não há a garantia da continuidade dos cursos serem suportados pelo Governo dos Açores”. Nesta mesma conferência de imprensa, Luís Leal, membro do secretariado de ilha do PS/Terceira, disse que em 17 meses de exercício deste Governo o projeto TTI já perdeu três empresas, sendo que outras que haviam manifestado interesse em se instalar “perderam-se por inércia do Governo em apoiá-las”

O PSD/Praia da Vitória lembra que o final do “Vale Programação”, criado em 2020 por Resolução do Conselho de Governo, teve a ver “com o elevado número de formandos durante os últimos dois anos, com os mesmos conteúdos, e foi dado a conhecer a 14 de abril de 2021, tendo sido modificado o seu regulamento, e passando a terminar a 31 de dezembro”.

“Esta decisão foi pública e do conhecimento da empresa que realizava a formação”, diz também o PSD/Praia da Vitória, reforçando que o “Vale Programação” visava criar conhecimentos específico, atrair empresas e potenciais investidores nas tecnologias de informação e comunicação, para desenvolver projetos naquele domínio, contratando recursos humanos com competências em linguagens de programação, “mas num número que a oferta local atualmente disponível já ultrapassa”, acrescentam.

“Em 2020 e 2021 foram formados 119 alunos, numa despesa superior a 700 mil euros. Cada um dos alunos usufruiu de uma bolsa individual de 6 mil euros”, recordam.

Assim, realçam os social-democratas praienses, “a decisão do governo está também a proteger o mercado de trabalho de ser inundado por formandos que podem não ser absorvidos na sua área de trabalho”, cumprindo os objetivos “de avaliar continuamente as políticas de formação, potenciando a sua diversificação”.

Por isso, o PSD/Praia da Vitória “enaltece a postura do Governo Regional, que já afirmou a sua intenção de continuar a investir na formação no TTI, desde que a mesma seja ajustada às reais necessidades do mercado de trabalho, e que possa corresponder aos objetivos estratégicos para aquele investimento”, dizem.

No comunicado, o social-democrata praienses incentivam ainda o Governo Regional “a promover o TTI, em estreita colaboração com a Câmara Municipal da Praia da Vitória, para que mais empresas se instalem no projeto, dentro dos moldes razoáveis e que se enquadrem no âmbito decidido para o mesmo”.

O projeto Terceira Tech Island surgiu em outubro de 2017 e pretendeu dar resposta às necessidades urgentes de dinamização da Ilha Terceira, após o downsizing da Base das Lajes, em sintonia com o Plano de Revitalização Económica da Ilha Terceira (PREIT). No âmbito deste projeto duas dezenas de tecnológicas instalaram-se na Praia da Vitória criando cerca de 200 postos de trabalho.

© PSD/A | PE