SECRETÁRIA DA EDUCAÇÃO QUER ACOMPANHAMENTO INDIVIDUAL AOS ALUNOS QUE ABANDONEM O SISTEMA EDUCATIVO SEM COMPLETAR O 12.º ANO

A secretária regional da Educação e Assuntos Culturais quer acompanhar os jovens que, com 18 anos deixem o sistema educativo regional sem concluir o 12.º ano, dando-lhes informação relativamente às alternativas a nível da educação e da formação, foi esta quinta-feira anunciado.

“Já para o próximo ano escolar, estamos a preparar um acompanhamento da situação individual de cada aluno que não tenha renovado a sua matrícula e que entretanto não tenha concluído o 12.º ano com 18 anos”, para “catapultar a região para outros níveis”, sublinhou a Sofia Ribeiro citada esta quinta-feira publicada na internet.

Segundo a nota, esta garantia foi dada pela titular da pasta da Educação, depois de participar na quarta-feira no plenário do Conselho Económico e Social dos Açores (CESA), onde falou sobre o abandono escolar precoce.

“Não nos interessam os números; o que nos interessa são os alunos”, frisou a governante.

Segundo Sofia Ribeiro, a Secretaria Regional está a desenvolver a plataforma de gestão dos alunos bem como a estatística para permitir que ,“chegados a julho”, seja feito o devido acompanhamento.

Dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) relativos a 2021, divulgados em fevereiro deste ano, mostram que a taxa do abandono escolar precoce, que estava há dois anos em 27% na Região, caiu para 23,2% no último ano, e no continente português de 8,9% para 5,9%.

De acordo com a Secretária Regional, “a redução foi muito mais abrupta no todo da média nacional do que na região. Nos Açores, a diminuição registou-se com números muito acima da média nacional”.

Sofia Ribeiro classificou a taxa do abandono escolar precoce como “um indicador de fim de linha”.

“O trabalho tem que começar a ser feito a montante”, referiu.

Para isso, a Secretária Regional está, em colaboração com os partidos políticos representados na Assembleia Legislativa Regional, a construir a Estratégia da Educação para a Década e a desenvolver indicadores intermédios, “essenciais para que o sistema educativo possa definir as suas metas, e aferir o grau de cumprimento das mesmas”.

“O XIII Governo Regional dos Açores tem vindo a aumentar substancialmente o investimento exclusivo na área da educação, bem como na escola pública, desagregando os investimentos em obras escolares”, mencionou.

Sofia Ribeiro frisou que o investimento que está a ser feito vai repercutir em aprendizagens significativas, “acompanhando os alunos desde o 1.º ciclo do ensino básico”.

“É desiderato deste Governo Regional fazer uma alteração ao nível do estatuto da carreira docente e ao nível dos currículos da educação básica. Estamos a potenciar o pensamento computacional para desenvolver outro tipo de raciocínio nas crianças; temos um fortíssimo investimento em ‘coaching’ educativo para um reforço das capacidades do aluno e do potencial da escola”, descreveu.

Durante a audição no CESA, Sofia Ribeiro enumerou alguns dos instrumentos financeiros disponíveis para o ano de 2022 na área da Educação.

Em Plano, estão inscritos 26 milhões de euros, “representando um aumento de 25% face ao registado em 2021”; em PRR, estão destinados 6.8 milhões de euros “para equipamentos, formação e para a desmaterialização dos manuais”, acrescendo 1.8 milhões de euros para o reforço da rede de internet de todas as escolas dos Açores.

© GRA | Foto: SREAC/GRA | PE

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s