“BENEFICIAÇÃO DE CAMINHOS AGRÍCOLAS CONTRIBUI PARA INDEPENDÊNCIA EXTERNA DE IMPORTAÇÃO DE BENS ALIMENTARES”, DEFENDE ANTÓNIO VENTURA

O secretário regional da Agricultura e do Desenvolvimento Rural defendeu segunda-feira, em Angra do Heroísmo, que “é cada vez mais fundamental, na atual conjuntura, apostar-se nas vias de comunicação” para a agricultura.

“Numa altura em que é necessário criar uma independência externa relativamente à importação de bens alimentares e de matérias-primas é necessário atingir-se progressivamente a soberania alimentar, pelo que essas vias de comunicação são importantes para que a produção agrícola possa acontecer com confiança e credibilidade”, afirmou António Ventura citado em nota do executivo.

António Ventura falava após a cerimónia de assinatura dos autos de consignação das empreitadas de construção e beneficiação do caminho agrícola canada dos Quarenta, no Perímetro de Ordenamento Agrário das Cinco Ribeiras/ Santa Bárbara, um caminho com uma extensão de 720 metros, e de prolongamento de abastecimento de água nas Veredas/ Fonte Faneca, na ilha Terceira.

“Apostar nessas vias de comunicação é apostar no que é fundamental acontecer, que é a produção de agroalimentos locais, recentrando a alimentação animal e a humana nos nossos recursos endógenos”, acrescentou.

O governante defendeu que “o caminho das políticas públicas deve ser criar independência alimentar externa progressivamente”, isto é, depender mais do que se produz internamente, ao invés do que se necessita externamente.

“É nesse sentido que as vias de comunicação se tornam fundamentais para que as explorações agrícolas tenham bons acessos e possam produzir leite, carne e hortícolas com menores custos de produção”, frisou.

No atual contexto, esta via insere-se nesta política pública de independência externa.

António Ventura relembrou que as crises acontecem, “sejam de ordem militar ou pandémica, e cada vez que acontecem põe a nu aquela que” é a maior fragilidade da região, a “dependência externa de bens alimentares”, que deve ser invertida

“Desde a tomada de posse deste Governo que temos como objetivo criar progressivamente essa independência externa, porque a riqueza de um país e de uma região também se mede pela sua capacidade de produzir agroalimentos”, realçou o secretário regional.

“É nesse sentido que nunca foi mais atual apostar nas vias de acessibilidade agrícolas, como é o caso da Canada dos Quarenta”, disse ainda.

António Ventura sublinhou o facto de que essa independência externa poderá levar a uma diminuição da quantidade, “mas diminuindo essa quantidade significa que o rendimento para as empresas de transformação e para os produtores será maior, porque está baseado naquilo” que é produzido.

© GRA | Foto: AIC/GRA | PE

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s