BE/AÇORES QUER IMPEDIIR SUBSÍDIOS PÚBLICOS A NOVOS GRANDES HOTEIS ATÉ HAVER UM PLANO DE ORDENAMENTO DO TURISMO EM VIGOR

A deputado do BE/Açores, Alexandra Manes, avançou esta quarta-feira que o seu partido vai propor que “até à entrada em vigor do novo POTRAA – documento que estabelece as regras para o desenvolvimento do turismo, que está suspenso desde 2010 – os novos hotéis com mais de 30 camas fiquem impedidos de receber subsídios públicos”.

Para o Bloco de Esquerda a construção desordenada de grandes hotéis nos Açores, “que o anterior e o atual Governo Regional têm permitido”, contraria a imagem de destino de natureza sustentável. Assim, sustenta o Bloco, “não faz qualquer sentido a Região estar a atribuir apoios públicos para grandes empreendimentos turísticos se eles não cumprirem a estratégia de desenvolvimento definida pela Região”.

Alexandra Manes alerta para a importância de o Governo levar rapidamente ao parlamento o novo POTRAA e estranha a demora deste processo, que se arrasta há mais de dez anos: “uma coisa é certa, se o POTRAA não for concluído rapidamente, quando estiver pronto, já não haverá nada para ordenar porque já vai estar tudo desordenado”.

Na nota enviada às redações, o Bloco de Esquerda faz notar que o Plano de Ordenamento Turístico da Região Autónoma dos Açores (POTRAA) é o documento que “define a estratégia de desenvolvimento sustentável do sector do turismo e o modelo territorial a adotar” e “é também um instrumento orientador dos diversos agentes económicos e disciplinador da ação administrativa, definindo para cada ilha os produtos turísticos estratégicos e a evolução da oferta turística”.

No entanto, lamento o Bloco “no período em que os Açores registaram o maior crescimento do turismo, não houve nenhuma regulação para proteger o interesse da Região.

Após uma reunião com o presidente da Associação de Turismo em Espaço Rural, na Quinta Martelo, esta quarta-feira, a deputada do bloquista apontou este “tipo de alojamento turístico como bons exemplos e que devem ser apoiados pelo Governo Regional”.

Por outro lado, a deputada diz que a estratégia que tem sido seguida – que passa pela construção de grandes hotéis – não respeita “as características únicas dos Açores” enquanto destino de natureza, nem aproveita os galardões internacionais com que os Açores têm sido distinguidos, por exemplo, pela UNESCO, nomeadamente a classificação de Património Mundial do Centro Histórico de Angra do Heroísmo e da Paisagem da Cultura da Vinha do Pico, e a classificação das ilhas Graciosa, Flores e Corvo, assim como as Fajãs de São Jorge como Reservas da Biosfera.

A proposta para impedir que novos grandes hotéis recebam apoios públicos até haver um novo POTRAA, “será apresentada na discussão do Plano e Orçamento dos Açores para 2022, e tem como objetivo travar o crescimento desordenado do turismo e impedir situações que poderão ser incompatíveis com a estratégia que será definida na legislação que – de acordo com o próprio governo – deverá estar pronta a ser apresentada no parlamento em breve”, anunciou Alexandra Manes.

© BE/A | Foto: BE/A | PE

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s