AUTÁRQUICAS 2021: GRUPO DE CIDADÃOS QUER CANDIDATAR A PRAIA DA VITÓRIA A CIDADE PATRIMÓNIO MUNDIAL DA UNESCO

O grupo de cidadãos “Esta é a nossa Praia” apresentou, esta quinta-feira, ao início da noite, as listas de candidatos às eleições autárquicas de 26 de setembro, bem como as principais medidas inscritas no seu Manifesto Eleitoral, de entre as quais se destaca a candidatura da Praia da Vitória a Património Mundial da UNESCO.


O cabeça de lista da candidatura de cidadãos independentes “Esta é a nossa Praia” à presidência da Câmara Municipal da Praia da Vitória, Tiago Ormonde, anunciou a intenção de “trabalhar numa candidatura à UNESCO que eleve a Cidade ao estatuto de Património Mundial”, aproveitando “a dimensão mundial” que “a presença da Base das Lajes, primeiro com os ingleses, depois com os americanos” confere à Praia.

“Se merecermos a confiança da maioria dos Praienses, criaremos de imediato uma Comissão de cidadãos ilustres e conhecedores para trabalhar numa candidatura à UNESCO que eleve a nossa Cidade ao estatuto de Património Mundial”, afirmou Tiago Ormonde, na sessão de apresentação da candidatura e das principais medidas inscritas no Manifesto Eleitoral do Grupo de Cidadãos Eleitores, que decorreu no Claustro da Academia da Juventude e das Artes.

O candidato do movimento “Esta é a nossa Praia” revelou propostas muito concretas para a potenciação dos ativos da Cidade e do Concelho, apontando soluções para a dinamização do centro histórico, o aproveitamento da baía, a relação com as Juntas de Freguesia e investimentos na área da educação, cultura, ciência e tecnologia, desporto, saúde e bem-estar e cidadania ativa.

A maior bandeira – a candidatura da Praia a Património Mundial – explicou Ormonde, “não é para competirmos com outras cidades que já o são, nem pela vaidade de podermos ostentar apenas um título, mas sim para beneficiar dos proveitos que tal classificação possa vir a desencadear aos níveis económico, turístico, cultural e de empregabilidade. A presença da Base das Lajes, primeiro com os ingleses, depois com os americanos, dá-nos dimensão mundial, marcou e continuará a marcar a vivência dos cidadãos da Praia da Vitória. Saibamos aproveitar essa vantagem e voltaremos a ter proveitos pela nossa posição estratégica”.

PRAIA DO CONHECIMENTO

Por outro lado, salientou, “queremos transformar a Praia da Vitória na Cidade Atlântica do Conhecimento, através da promoção de ciclos anuais de conferências, seminários e workshops com palestrantes de referência regional, nacional e internacional, nas áreas científicas, académicas, comunitária, histórica e cultural”.

Entre outras propostas que constam do programa de intenções dos eleitores independentes que concorrem à Câmara e à Assembleia Municipais da Praia da Vitória, destaque ainda para “a criação do serviço de ajuda aos jovens universitários e suas famílias; do Programa Municipal de Educação para a Sustentabilidade; da criação do Espaço Jovem + (que pretende dar resposta aos jovens estudantes do Concelho em áreas como a educação, novas tecnologias, produção artística, música, formação, emprego e saúde); da criação da Assembleia Municipal Jovem (despertando e desenvolvendo o conceito de cidadania ativa); da criação do Programa “PraiaComVida” (onde serão disponibilizados incentivos para a atratividade da Cidade para fixação de jovens casais e novos agregados familiares) e do reforço do aproveitamento do potencial ambiental e de sustentabilidade, transformando o Paul da Cidade num espaço de saúde e bem-estar, associado aos nichos de turismo que estão relacionados com este tipo de ecossistemas”.

VALORIZAÇÃO DAS FREGUESIAS E VILA

No que toca ao apoio às Juntas de Freguesia e ao investimento a realizar nos seus respetivos territórios, Tiago Ormonde frisou a importância “do diálogo constante e permanente, no sentido de corresponder positivamente aos projetos e anseios de cada uma das Freguesias”, referindo, porém, que “importa olhar para a valorização do espaço rural promovendo a criação de zonas de lazer e zonas verde (onde elas não existam), abertura de trilhos de contemplação da natureza ou valorização da história e tradições de cada Freguesia e Vila, concebendo zonas de plane spotting, birdwatching e geocaching, implementando estruturas desportivas ao ar livre e dinamizando eventos culturais de rua através de concertos, teatro, gastronomia”.

Ao nível escolar, do ensino e do conhecimento, disse, “não podemos descurar as necessidades que o parque escolar do Concelho necessita, sendo imperiosa a criação de uma equipa de trabalho conjunta com a Secretaria da Educação para se avançarem com investimentos públicos essenciais à melhoria da qualidade de ensino nas nossas localidades”.

O Projeto Terceira Tech Island “é de valor, mas carece de potenciação”, considerou, apontando que “a Praia da Vitória não pode ser só uma terra de nómadas digitais que ocupam uns espaços vazios no seu centro histórico” e, por isso, preconizando também “uma nova dinâmica da incubadora de empresas Praia Links, potenciando a sua ligação com o restante ecossistema formativo da Praia, como a Escola Profissional e as unidades orgânicas do sistema educativo”.

No capítulo do apoio ao associativismo praiense, “mais do que ser simplesmente apoiado, tem que ser envolvido na definição das agendas culturais municipais, valorizando as nossas artes e tradições e catapultando os nossos artistas e grupos para outros patamares de espetacularidade”, frisou, indicando que “as Câmaras Municipais devem deixar de funcionar como ‘agências de espetáculos’, para apoiarem as suas forças vivas, envolvendo a comunidade e promovendo um conjunto de eventos que tenham real participação dos cidadãos”. Neste sentido, revelou, “vamos constituir um Conselho Consultivo para a Cultura”.

Já no que diz respeito ao associativismo desportivo, “importa aproveitar as equipas que representam a Praia da Vitória além das nossas fronteiras para serem verdadeiras embaixadoras da Cidade e do Concelho, criando condições para novas parcerias desportivas e fomentando a atratividade da Praia para a realização de estágios e organizações competitivas de relevo”.

POTENCIAÇÃO DA BAÍA

Interligando desporto com aproveitamento do que designou como “um dos maiores ativos de futuro”, a candidatura “Esta é a nossa Praia” foca-se numa “imprescindível e estreita colaboração com o Clube Naval, no esmiuçar de todas as potencialidades da Baía da Cidade”, uma vez que considera que “associado à prática desportiva e competitiva, a Baía da Praia tem que ser rentabilizada pela via da náutica de recreio, da indústria de reparação naval (intimamente ligada às empresas instaladas no Praia Links e no Terceira Tech Island), bem como os nossos areais têm que ser colocados ao serviço do turismo. Temos um ativo que poucas ilhas dos Açores têm e não sabemos tirar dele o devido proveito”.

MOVIMENTO VIVO QUE SOBREVIVERÁ A 26 DE SETEMBRO

Tiago Ormonde sublinhou que “muitos mais são os planos, propostas e projetos que, ao longo das próximas semanas serão dadas a conhecer”, salientando que a candidatura que lidera “apresenta-se a sufrágio movida pelo desejo profundo de fazer mais e melhor pelo Concelho da Praia da Vitória”.

“Ao contrário daqueles que, sentados nos cadeirões do poder, sempre tem tentado fazer passar a mensagem de que este movimento não tem pernas para andar, assumimos, aqui e agora, que esta candidatura está viva (e bem viva) porque foram os Praienses, dos Biscoitos ao Porto Martins, que lhe deram voz e exigiram que ela cá estivesse. Este movimento não terminará no próximo dia 26 de setembro; nasceu para ter continuidade e tem como principal propósito a defesa intransigente da Praia da Vitória”, finalizou.

ASSEMBLEIA MUNICIPAL SERÁ ESPAÇO DE AUSCULTAÇÃO DE TODOS

Rita Borges Bettencourt, candidata à presidência da Assembleia Municipal, afirmou, por seu turno, que “é necessário ter um plano para a Praia, uma visão para o desenvolvimento do Concelho, uma estratégia realista que promova o bem estar e a qualidade de vida das nossas populações, dos Biscoitos ao Porto Martins, potenciando as mais valias que a própria natureza nos confere”, assumindo a transformação do órgão de fiscalização da atividade municipal como “espaço privilegiado de auscultação de todos os Praienses e das suas Instituições e Coletividades”.

“A Assembleia Municipal é o órgão que constitui um espelho do Município, o local ideal de União dos Praienses. Sim, a União começa aqui. É na Assembleia Municipal que se concretizará o nosso projeto de União dos Praienses. Será na Assembleia Municipal – local onde todos os Praienses estão representados – que os projetos serão debatidos, que as contas serão auditadas, que os cidadãos serão também recebidos. É necessário dignificar a Assembleia Municipal, dar-lhe o corpo e alma que a própria lei lhe confere de órgão fiscalizador da ação governativa municipal, de espaço privilegiado de auscultação de todos os Praienses e das suas Instituições e Coletividades”, disse revelando ainda que serão adaptados “os horários de funcionamento das assembleias municipais aos horários dos nossos concidadãos, descentralizando também as reuniões deste órgão por todo o Concelho”.

UNIÃO É PALAVRA DE ORDEM

O Mandatário da Candidatura do Grupo de Cidadãos Eleitores “Esta é a nossa Praia”, Borges de Carvalho, justificou a sua presença neste projeto autárquico independente, porque diz ter “o dever de participar na reconstrução de uma comunidade abalada pela apatia de uns e pela arrogância e prepotência de outros”.

“Louvo a coragem deste grupo de jovens independentes que, com humildade e vontade de trabalhar pela sua terra, no meio de tanto negativismo e discórdia entre egos exacerbados, não pretende senão ser um dos obreiros de pontes e semeadores de diálogo, concórdia e esperança num futuro melhor para o nosso Concelho”, afirmou.

José Adriano Borges de Carvalho acrescenta que “não poderia deixar de sonhar, junto com estes jovens, pela concretização da união de todos os Praienses, pois só em união a Praia da Vitória poderá ter o lugar que lhe é devido. O sonho é o primeiro pilar que pode sustentar a construção da união. Este é um projeto que abrange todos os que queiram contribuir para o bem comum. Temos um passado histórico que nos orgulha, assim saibamos nós preparar um futuro que não nos envergonhe”.

© GCE/PV | Foto: GCE/PV | PE

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s