ARTIGOS CIENTÍFICOS ABORDAM O EFEITO DAS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS NOS AÇORES

Foram publicados recentemente dois artigos científicos que incidem sobre o efeito das Alterações Climáticas (AC) no contexto do arquipélago dos Açores, revelou hoje o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) através de uma publicação na página da internet.

“Alterações Climáticas e Energia no Contexto dos Açores” e “Alterações Climáticas e o Aumento de Eventos Extremos nos Açores” incorporam a separata sobre AC do Boletim do Núcleo Cultural da Horta (NCH) e são da autoria de Fernanda Carvalho, Diamantino Henriques e Patrícia Navarro, meteorologistas do IPMA.

Os resultados apresentados nestes estudos são inéditos sobretudo no que se referem aos cenários mais recentes do “Intergovernamental Planet on Climate Change” (IPCC, ONU). Particularmente no respeitante à energia, devido ao atual contexto de decisão e implementação de políticas públicas no âmbito do PRR – Plano de Recuperação e Resiliência, no que compete à adaptação às AC.

ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS E ENERGIA NO CONTEXTO DOS AÇORES

O setor da energia é o maior contribuinte para as emissões de gases com efeito de estufa à escala global, mas poderá também ser seriamente afetado devido às alterações climáticas, colocando em causa os atuais padrões de consumo da sociedade. As projeções climáticas obtidas por um conjunto de modelos numéricos de circulação global são geralmente utilizadas para simular o clima até ao final do século com base em cenários de emissões mais ou menos poluentes. Com exceção da produção energia solar, os resultados obtidos para a região dos Açores mostram impactos geralmente negativos para a produção e consumo de energias renováveis.

CARVALHO, Fernanda, MEIRELLES, M., HENRIQUES, D., NAVARRO, P. – Alterações Climáticas e Energia no contexto dos Açores. Boletim do Núcleo Cultural da Horta. 29: (2020) 149-162. ISSN: 1646-0022.

Ler artigo na íntegra.

ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS E O AUMENTO DE EVENTOS EXTREMOS NOS AÇORES

A nossa atmosfera já não é a mesma: desde setembro de 2016 que a concentração de fundo do CO2 na atmosfera dos Açores tem sido sempre superior a 400 ppm(v). Os resultados das recentes previsões de vários modelos climáticos, indicando o aumento da temperatura do ar e a diminuição da quantidade de precipitação, são também claros em relação ao aumento de eventos extremos na região dos Açores. Por exemplo e, no cenário mais pessimista do forçamento radiativo, estima-se até ao final de 2100 o aumento dos períodos de seca em 4,8 dias/ano, dos eventos de precipitação forte em 1.4 dias/por ano e do número de noites tropicais em cerca de 101 noites/ano. Este resultado pode ser explicado pela intensificação do anticiclone subtropical do Atlântico Norte na região dos Açores, especialmente a oeste das Ilhas Britânicas. Neste trabalho apresentam-se as tendências da temperatura do ar e da precipitação com base nas reanálises do projeto ERA5, bem como as projeções e variações para o final do século; foram ainda analisadas as projeções para alguns extremos climatológicos e estimadas as variações para o final do século com referência ao período mais recente.

CARVALHO, Fernanda, MEIRELLES, M., HENRIQUES, D., NAVARRO, P. – Alterações Climáticas e o Aumento de eventos extremos nos Açores. Boletim do Núcleo Cultural da Horta. 29: (2020) 95–108. ISSN: 1646-0022.

Ler artigo na íntegra.

© IPMA | Foto: IPMA | PE

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s