PROPOSTA DE OBRIGAÇÕES DE SERVIÇO PÚBLICO AÉREO INTER-ILHAS É “DE UM CENTRALISMO SERÔDIO”, CONSIDERAM COUTO E BEZERRA

Os vereadores do PSD eleitos à Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, Marcos Couto e Miguel Bezerra, consideram “de um centralismo serôdio” a proposta de novas Obrigações de Serviço Público de transporte aéreo inter-ilhas, bem como “lamentáveis” as declarações proferidas pelo presidente da Câmara do Comércio de Ponta Delgada sobre o assunto.

Citados em nota de imprensa, Couto e Bezerra entendem que “a proposta do Governo para as novas Obrigações de Serviço Público (OSP) materializa a criação de um hub em São Miguel, colocando o aeroporto das Lajes e as gateways do Faial e do Pico numa situação marginal”, saudando ainda a posição já assumida pelo executivo de mandar rever esta proposta.

“Por muito menos já rolou uma cabeça neste novo Governo Regional. Seja quem seja o responsável político desta governação pela autoria desta proposta deve ser demitido, pois não é aceitável que um governante elabore uma proposta desta natureza sem estar em linhas com as orientações programáticas da governação, antes pretendendo satisfazer apenas os interesses bairristas e lobistas do presidente da Câmara do Comércio de Ponta Delgada”, afirmam.

Exigindo consequências políticas, os vereadores da oposição no Município angrense atiram também a Mário Fortuna (líder dos empresários micaelenses), considerando que as suas afirmações sobre esta matéria “são falsas”, uma vez que, “segundo ele, não se podem repetir os erros que levaram a SATA à situação em que esta se encontra”.

Ora, frisam os eleitos sociais-democratas, “acontece que não é por causa das OSP inter-ilhas que a SATA está falida, muito pelo contrário. É importante lembrar a Mário Fortuna que as OSP garantem à SATA 60 euros por passageiro ao que a SATA acrescenta o preço da passagem, ou seja, aquilo que cada Açoriano paga. Assim, a companhia ganha, por passageiro, uma média de 180 euros, uma verdadeira fortuna para as rotas que faz. Quem rebentou com a SATA foram as administrações que, cedendo às pressões centralistas de Ponta Delgada, como as de Mário Fortuna, levaram a que a companhia competisse com outras companhias, como as low-cost (um terço das operações da Azores Airlines, são para países que tem ligações low-cost com São Miguel, o que faz com que a SATA esteja a duplicar a oferta dos mesmos destinos para a mesma ilha)”.

Couto e Bezerra, ressalvando sempre “a coragem assumida pelo Governo em mandar rever a proposta” de novas obrigações de serviço público, consideram que “mais do que a incompetência ou atrevimento do autor político desta proposta, a mesma teve um mérito nunca antes alcançado: fez com que caísse finalmente a máscara a Mário Fortuna. Agora é claro para todos, o que pensa este sobre a unidade regional. Tudo isto é tão mais grave quando Mário Fortuna é um académico e transmite estas ideias dentro de uma academia que devia promover a unidade regional”.

Marcos Couto e Miguel Bezerra saúdam, por outro lado, “o trabalho realizado pelas Câmaras de Comércio de Angra do Heroísmo e da Horta e a tomada de posição pública do presidente da Câmara Municipal de Angra, pois sem eles corria-se o sério de risco desta inaceitável proposta vingar e de se concretizarem os desejos antigos dos lobistas de Ponta Delgada”.

INTER-ILHAS E PARA O EXTERIOR

Para além das críticas à proposta inicial de OSP inter-ilhas (onde os vereadores do PSD registam, no entanto, “como muito bem vinda a Tarifa Açores a 60 euros ida e volta”), Couto e Bezerra insistem nos reparos à operação também ela “centralista” da Azores Airlines, que “continua a marginalizar e discriminar negativamente o aeroporto das Lajes e as outras gateways dos Açores”.

“A política centralista levada a cabo pela Azores Airlines em relação à ilha Terceira também tem que ser denunciada. Depois da ligação para o Porto, a SATA retirou agora a ligação que fazia entre Lisboa e a Terceira, às terças e quartas-feiras, passando-as para a sexta-feira e o sábado, entrando numa competição com a TAP e a RYANAIR que, para além de não fazer sentido, prejudica os passageiros terceirenses e das ilhas vizinhas e prejudica a própria SATA que ainda não percebeu que não tem escala para competir com aquelas companhias”, dizem.

Com estas alterações, denunciam os vereadores do PSD, “a Terceira passa a ter 3 ligações diárias com o exterior às sextas e sábados, ficando os passageiros obrigados, nos outros dias da semana, a ter que ir a São Miguel apanhar ligação com o continente, dando assim mais um passo no sentido da criação do hub em Ponta Delgada, pois obriga todos os demais Açorianos a ter que fazer escala de ligação naquele aeroporto”.

Para Marcos Couto e Miguel Bezerra “não é honesto, nem sério, o que se está a fazer”, até porque “não foi por causa dos OSP que a SATA apresentou 300 milhões de euros de prejuízos nos primeiros meses deste ano”.

© GI-VPSD-AH | Foto: GI-VPSD-AH | PE

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s