PRAIA DA VITÓRIA COM NOVO MECANISMO DE APOIO À INICIATIVA PRIVADA

A Câmara Municipal da Praia da Vitória dispõe de um novo mecanismo de apoio à iniciativa privada, designado de Projeto de Interesse Municipal, o qual visa captar investimento reprodutivo para o concelho e a criação de postos de trabalho qualificados.

A apresentação do regulamento do Projeto de Interesse Municipal decorreu na passada terça-feira, 09 de março, no Auditório do Ramo Grande, e constitui mais um apoio a juntar aos já aprovados e em vigor, ampliando ainda mais o sistema de incentivos ao sector privado.

“O Projeto de Interesse Municipal é mais um mecanismo de reforço dos apoios à iniciativa privada no Concelho, que apoiará os empresários em projetos de investimento de montante igual ou superior a 150 mil euros, a implementar em qualquer local do território da Praia da Vitória, para além de apoios ao nível fiscal e de auxílio procedimental”, disse Tibério Dinis, citado em nota de imprensa.

O presidente do Município frisou que, “em pouco mais de dois anos”, a Autarquia foi capaz de criar mecanismos de apoio à iniciativa privada que “dão resposta às necessidades do território”, com pendor “de inovação” e contemplando vertentes de apoio à fixação de negócios e também de famílias.

“Este é um sistema de incentivos às empresas que já foi aprovado, já foi publicado e já está formalmente em vigor, pelo que as candidaturas podem surgir já”, afirmou Tibério Dinis, salientando que “é nos momentos em que a resiliência dos empresários está patente no dia-a-dia que as entidades públicas têm que apresentar respostas eficazes. Este Regulamento estava a ser preparado antes da situação de pandemia, acaba por surgir agora, assentando como uma luva”, acrescentou.

“Os incentivos públicos devem surgir nos momentos mais difíceis. Em tempos de maior dificuldade não devemos aumentar impostos ou criar mais taxas. O Regulamento do Projeto de Interesse Municipal já está em vigor, os apoios já estão disponíveis. Bom seria para a Praia da Vitória que, no espaço de um ano, tivéssemos 10 projetos candidatados. Bom será se tivermos projetos e candidaturas que demonstrem a capacidade de investimento dos nossos empresários e a capacidade de atração de novos negócios para o Concelho”, disse.

COMPETITIVIDADE

O Projeto de Interesse Municipal “visa tornar a Praia da Vitória mais competitiva do ponto de vista da atração de investimento”, destaca, sublinhando a concessão de apoios ao nível fiscal (isenção da taxa de Derrama), ao nível das taxas (isenção de todas as taxas municipais inerentes ao projeto e das tarifas de água, resíduos e saneamento) e ao nível financeiro (comparticipando os projetos até 40% do investimento próprio, com limite de 100 mil euros, em projetos de valor total igual ou superior a 150 mil euros), para além do acompanhamento e apoio procedimental aos promotores.

A “transparência” é palavra de ordem na avaliação e aprovação das candidaturas, sendo que todos os projetos candidatados serão avaliados “por uma Comissão independente e externa” ao Município, constituída “por personalidades de reconhecida competência” e, emitido o parecer desta comissão, os projetos serão submetidos à ratificação da Assembleia Municipal da Praia da Vitória.

“A Assembleia Municipal é o órgão máximo da Autarquia. É na Assembleia que está representada toda a pluralidade democrática expressa nas urnas pelos eleitores e, considerando os montantes de apoio envolvidos e a dimensão e abrangência dos projetos, em nome da total transparência, deve ser o órgão máximo a deliberar”, aponta Tibério Dinis.

Em termos de critérios de análise serão considerados “a qualidade e interesse do projeto”, a “sustentabilidade e consistência de gestão”, o “número de postos de trabalho criados”, a “criatividade, inovação e valorização dos recursos locais” e o “número potencial de beneficiários ou público-alvo” a abranger.

DINAMISMO E COOPERAÇÃO

Na apresentação mais detalhada do sistema de apoios, o Vereador Tiago Ormonde salientou que o Projeto de Interesse Municipal “é um reforço dos mecanismos de apoio à atração de investimento privado, visando a criação de emprego sustentável dentro dos setores estratégicos que elegemos para os próximos 10 a 15 anos”, nomeadamente as áreas agrocomercial, do mar, turismo, tecnologia e desenvolvimento local.

O responsável pela pasta das finanças e economia do Município lembrou que o Projeto de Interesse Municipal “vem reforçar os mecanismos de apoio já existentes, como o Regulamento Viver e Investir na Praia da Vitória, que surgiu em 2020 e já apoiou mais de 20 projetos, num valor global, entre redução e isenção de taxas e impostos e apoios financeiros, de mais de 80 mil euros”.

Tiago Ormonde referiu que o objetivo “é continuar com esta dinâmica de atração de investimento e de proximidade e cooperação com os nossos empresários, ainda para mais, nos tempos difíceis que atravessamos, para que possamos estar, cada vez mais, preparados para a retoma, após esta crise de saúde pública”.

MUNICÍPIOS DOS AÇORES TRATADOS COM EQUIDADE, GARANTE ARTUR LIMA

Presente na apresentação, o vice-presidente do Governo Regional, deixou a garantia de que “todos os municípios da Região Autónoma dos Açores serão tratados com equidade”, e que poderão contar com o executivo para colaborar na construção das respostas que os açorianos precisarem.

Artur não deixou de sublinhar que o concelho da Praia da Vitória tem sido, nos últimos anos, “fustigado a nível económico, laboral e social, devido aos constrangimentos que resultaram da redução do efetivo militar e civil da Base das Lajes”.

As consequências dessa redução, referiu, traduziram-se em “impactos no PIB local, nos empregos locais e no poder de compra dos terceirenses, sobretudo dos praienses”.

O governante lamentou a diferença substancial, na ordem dos 20%, entre o poder de compra na Praia da Vitória (74,7%) e o poder de compra em Angra do Heroísmo (94,7%), de acordo com o último estudo sobre o poder de compra concelhio de 2017.

Referindo-se ao Plano de Revitalização Económica da Ilha Terceira (PREIT), Artur Lima salientou que este foi “muito incisivo na mitigação dos efeitos existentes, mas pouco efetivo na dinamização de um modelo de desenvolvimento capaz de preparar estruturalmente o tecido empresarial para os desafios do futuro”.

Segundo disse, a Praia da Vitória é “um concelho com enormes potencialidades de investimento e com condições únicas para se desenvolver”.

“O seu porto comercial de excelência e o recém-inaugurado terminal de cargas das Lajes são ferramentas únicas ao serviço das empresas e dos empresários”, referiu, lembrando que o Governo dos Açores manteve a redução das taxas aeroportuárias na Aerogare Civil das Lajes e reduziu também as taxas de operação portuária no Porto da Praia da Vitória.

Para o Vice-Presidente do Governo, o “aproveitamento destas potencialidades” depende da “ação e proatividade do poder político, que deve ter a capacidade de se reinventar”.

“Qualquer medida em benefício da dinamização económica de um concelho não se pode limitar ao seu centro urbano. Tem de acautelar também as freguesias rurais, contribuindo de forma decisiva para que não haja o seu despovoamento”, finalizou.

© GC-MPV – GRA | Foto: GC-MPV — VPGR | PE

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s