PAULO SILVA: “QUEREMOS COLOCAR A TERCEIRA NO LUGAR QUE ELA MERECE!”

O líder do partido Aliança Açores, Paulo Silva, candidata-se às eleições para a Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, do próximo dia 25 de outubro, pelo círculo eleitoral da ilha Terceira, para colocar a ilha de onde é natural no lugar que ela merece, com “os Açores no coração”.

Para tal, Paulo Silva quer colocar o imenso talento artístico dos terceirenses ao serviço do desenvolvimento, criando uma nova dinâmica económica que une o Turismo à Cultura, através da criação de uma “bolsa de artistas”, com “bandas filarmónicas, artistas plásticos, bailinhos de carnaval, músicos e outros tantos ramos das artes”, maximizando as infraestruturas existentes e potenciando o turismo ao longo de todo o ano.

Na Saúde, o candidato pela ilha Terceira considera “inadmissível” o Governo não valorizar “os médicos, enfermeiros e terapeutas como merecem, dividindo uma classe muito importante para a região”. Paulo Silva qualifica ainda de “inadmissível”, o desfecho do serviço de radioterapia do hospital da ilha Terceira, sobretudo após “um investimento de 1.5 milhões de euros”.

Nas acessibilidades, questão transversal a todas as ilhas, Paulo Silva diz que “a SATA tem de ter uma vocação para tratar bem os açorianos e só depois pensar nos turistas”.

Segundo Paulo Silva, o turismo de cruzeiros é uma má aposta, pelo seu fraco retorno económico e por ser altamente poluente, pelo que no seu entender o investimento da eventual construção de um terminal de cruzeiros na Praia da Vitória, deverá ser aplicado “nas pessoas, na saúde e na educação”.

Praia Expresso (PE) — Esta é a primeira vez que o ALIANÇA concorre às eleições Legislativas Regionais nos Açores e na Terceira. Quais são as metas do partido para estas legislativas?
Paulo Silva (PS) — Para estas legislativas, seguimos com as melhores expectativas. Estamos aliados pela Terceira, pelas pessoas, e eu acredito que isso faz toda a diferença.
Somos um grupo de cidadãos empenhados e proactivos e resolvemos abraçar este projeto porque queremos, desejamos e exigimos mais para a nossa ilha Terceira. Queremos colocar a Terceira no lugar que ela merece porque temos os AÇORES NO CORAÇÃO.
Queremos o melhor para a nossa terra e, por isso mesmo, queremos um projeto mais ambicioso e mais humano, onde se ponha, finalmente, os olhos em todo o potencial da ilha Terceira, no seu tecido empresarial e nas suas famílias. Queremos que a nossa ilha seja uma ilha aliada pela inclusão e que continue a ser um símbolo de humanização na região.
Desenvolvemos um projeto político a pensar na ilha Terceira para que os terceirenses voltem a acreditar na Política e que é possível fazer coisas boas pela nossa terra. Estamos aliados pela nossa terra para juntos valorizarmos o que é nosso… De facto, existem políticas governamentais que devem ser comuns a todas as ilhas, mas, dada a especificidade da nossa região, temos também que criar políticas específicas e pensadas para cada ilha e, em certos casos, para cada cidade. O futuro passa por aí, por seguimos em frente de forma diferente!

PE — Quais são as principais propostas da sua candidatura para a ilha Terceira?
PS — Queremos colocar a Terceira no lugar que ela merece!
A grande proposta que temos para a ilha Terceira, por ser a ilha que tem mais expressão cultural per capita do país, é de criar uma bolsa de artistas transversal, com bandas filarmónicas, artistas plásticos, bailinhos de carnaval, músicos e outros tantos ramos das artes, maximizando também as infraestruturas existentes. Assim criamos uma dinâmica económica que une o Turismo à Cultura…. É tempo de valorizarmos o que temos de melhor e o que nos torna únicos e de capitalizar isso a nosso favor! Com este projeto criamos emprego, iniciamos uma dinâmica sem paralelo na ilha e no resto da região. A aposta e a valorização das pessoas é o nosso grande lema!

PE — Que avaliação faz do estado atual de desenvolvimento da ilha Terceira no contexto da economia regional. Entende que estão a ser exploradas todas as potencialidades da ilha?
PS — Não. Somos muito mais, queremos muito mais e podemos muito mais!

PE — Em tempo de pandemia é inevitável falar de saúde. Como avalia a ação do Governo neste domínio? O que teria feito de forma diferente se fosse Governo? Quais as insuficiências do Serviço Regional de Saúde nesta ilha? Como as resolveria? E qual a posição da sua candidatura relativamente ao serviço de radioterapia no hospital da ilha Terceira?
PS — Em relação à pandemia, numa primeira fase, todos estiveram bem: governo, a oposição e as famílias. Depois é claro que não! É inadmissível que o Governo Regional dos Açores não tenha seguido a sugestão do Partido Aliança para executar os testes COVID-19 no local de origem. Continua a ser inadmissível que, nas marinas e depois da hora de saída dos trabalhadores, não haja qualquer tipo de controlo e esta situação já foi alertada pelo partido Aliança! É igualmente inadmissível não se ter valorizado os médicos, enfermeiros e terapeutas como merecem, dividindo uma classe muito importante para a região.
Em relação à radioterapia, é inadmissível fazermos um investimento de 1.5 milhões de euros que iria beneficiar a ilha Terceira e, consequentemente, o Grupo Central para depois termos este desfecho. Este investimento, para além de trazer um conforto extra para os doentes, por ficarem sempre mais perto de casa, iria beneficiar também o sector económico para além do sector da saúde.

PE — Boas acessibilidades são essenciais para o desenvolvimento de qualquer sector da atividade económica. Como vê as acessibilidades à ilha Terceira? No seu entender o que deve ser melhorado? E qual o entendimento da sua candidatura no que diz respeito à construção de um terminal de cruzeiros e navegação interilhas na Praia da Vitória?
PS — A boa acessibilidade é uma questão pertinente para todas as ilhas e não só para a Terceira.
A SATA tem de ter uma vocação para tratar bem os açorianos e só depois pensar nos turistas.
A ilha Terceira com boas acessibilidades aéreas e trabalhando bem por si própria as especificidades do Turismo que pretende e dos mercados que vai trabalhando, pode ter um turismo muito forte e sustentável ao longo de todo o ano.
Quanto ao cais de cruzeiros é já claro a esta altura para os açorianos que o turismo de cruzeiro não traz nada de bom à nossa terra…. Os turistas saem no navio, dão um passeio e não consomem nada. O lixo é descarregado na nossa terra. A água é abastecida a preço barato. O mesmo com a energia! Turismo de Cruzeiros não obrigada! Honestamente, pegava neste investimento e investia nas pessoas, na saúde e na educação! Por mais famílias felizes e um turismo sustentável!

PE — Nas últimas Regionais mais de metade (58,90%) dos eleitores inscritos no círculo eleitoral da Terceira não votaram. O que tem a dizer a estes eleitores em particular, para os levar a votar, e a todos, em geral, para os convencer a votar na lista que encabeça?
PS — Esta lista é composta por pessoas que têm a sua vida estruturada e que decidiram sair da sua zona de conforto para darem o seu contributo à sua terra. Uma vitória bastante importante para nós seria ver os números da abstenção serem reduzidos, sinal claro de que as pessoas estão connosco, juntas para retirar a maioria absoluta ao PS e iniciar um novo ciclo de governação e um novo futuro para os Açores.
Acreditamos nas pessoas e acreditamos em nós.

© PE

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s