A TECNOLOGIA SERÁ ESSENCIAL PARA O FUTURO DA EDUCAÇÃO E UM INSTRUMENTO VALIOSO PARA A RECUPERAÇÃO DE APRENDIZAGENS — KINDERPEDIA

A Kinderpedia, empresa com solução completa de gestão e de comunicação para escolas e jardins de infância, organizou a sua primeira conferência híbrida em Portugal, no Convento de S. Francisco, em Santarém. O evento “Tecnologia e recuperação de aprendizagens: uma sinergia de sucesso” abordou as vantagens da tecnologia para a recuperação de aprendizagens e contou com a presença de profissionais da educação, gestores escolares e representantes municipais.

Ricardo Gonçalves, Presidente da Câmara Municipal de Santarém, fez a abertura do evento e destacou a importância da ligação entre inovação, tecnologia e educação. “Santarém fez uma rápida mudança para lidar com a pandemia”, salientou, referindo que foram antecipadas, “em quase uma década, as tecnologias em salas de aula em Portugal”. “Agora, é importante que não haja um retrocesso”, porque “crianças preparadas antecipam um futuro melhor para todos”.

Evelina Necula, Cofundadora da Kinderpedia, falou da sua experiência enquanto empreendedora, mas também como mãe, destacando a importância da ligação entre família e escola. Por isso, a Kinderpedia surgiu há oito anos, para ajudar a promover uma maior conexão entre pais, alunos e professores, bem como poupar tempo para professores e gestores escolares, que poderá ser direcionado para criação de conteúdos pedagógicos e mais criativos, em vez de burocracia. Evelina Necula abordou os principais benefícios da plataforma, que passam por economizar o tempo dos professores, maior autonomia aos alunos, facilitar o envolvimento familiar e simplificar a gestão escolar.

“A Kinderpedia está empenhada em contribuir para a transformação digital para a educação, junto do município de Santarém, mas também a todas as comunidades escolares em Portugal”, acrescentou Filipa Lemos Cristina, Country Manager da Kinderpedia em Portugal.

Sofia Borges, Cofundadora e Coordenadora Pedagógica da Brave Generation Academy (BGA), assinalou que a Covid-19 veio acelerar a necessidade de enfrentar os desafios da educação, como cortar os laços com a tradição ou proporcionar experiências para desenvolver competências e conhecimento. Foi neste contexto que surgiu a BGA, um projeto direcionado para alunos dos 12 aos 18 anos, que já conta com 10 Hubs em Portugal e que está alicerçado em três grandes pilares: conhecimento, competências e comunidade. A BGA é um dos parceiros da Kinderpedia em Portugal e pretende promover uma maior flexibilidade, empoderamento e cooperação.

Durante o painel, foi debatido o papel da tecnologia para a recuperação de aprendizagens. João Leite, Vereador de Educação da Câmara Municipal de Santarém, destacou que “as novas tecnologias são uma ferramenta essencial para o exercício das funções educativas”, num contexto em que a Câmara Municipal de Santarém desempenha um papel de parceiro ativo para ideias inovadoras, tentando também adaptar-se com celeridade às novas necessidades. “Quanto maior for o envolvimento das famílias, mais sucesso teremos”, assinalou.

Margarida da Franca, Diretora do Agrupamento de Escolas Alexandre Herculano, em Santarém, recordou o período da pandemia, salientando o papel dos professores. No início da pandemia, a média de idades dos professores do agrupamento era de 55 anos, mas, rapidamente, foi possível colocar em marcha uma escola online. “Conseguimos fazer a adaptação aos novos meios” e “foi algo fantástico e inovador”, para o qual também colaboraram os pais, “que se ajudaram entre si, num trabalho conjunto da sociedade”.

Sofia Rosa, Finalista do Curso Profissional de Turismo da Escola Profissional do Vale do Tejo, mostrou a perspetiva dos alunos e corroborou que “foi fácil porque somos uma geração tecnológica”. Para falar sobre o ponto de vista dos pais, esteve presente Rui Pires, Presidente da FAPOESTEJO, que salientou que “é importante trazer o tema da literacia digital”, porque “a literacia digital é para todos”. Contudo, “as nossas escolas ainda não são digitais”, pelo que “temos de envolver todos nesta discussão”.

Para o futuro, é importante “aproximar a necessidade educativa das necessidades das empresas locais, para que haja uma ligação profícua”, sendo “preciso trabalhar a acessibilidade tecnológica”, assinalou João Leite. Margarida da Franca referiu também que é necessário haver “suporte tecnológico” e que a tecnologia é “muito motivadora e facilitadora para a aprendizagem”. João Leite corroborou, acrescentando que a tecnologia “é um complemento essencial ao trabalho dos professores”, sendo também que um dos objetivos da Câmara Municipal de Santarém passa por promover a transformação digital, “para que os nossos jovens possam ter a capacidade para enfrentar os desafios”.

O evento foi organizado pela Kinderpedia, solução completa de comunicação e gestão dedicada à educação, com o apoio da Câmara Municipal de Santarém e da FAPOESTEJO, a maior federação de associações de pais em Portugal, representando as famílias de 130.000 estudantes das regiões Oeste, Lezíria Tejo, e Médio Tejo.

© TH/GW | Foto: GW | PE