MUSEUS DOS AÇORES ASSOCIAM-SE À COMEMORAÇÃO DO DIA INTERNACIONAL DOS MONUMENTOS E SÍTIOS

A Secretaria Regional da Cultura, da Ciência e Transição Digital, por via da Direção Regional da Cultura, através dos seus museus, associa-se à comemoração o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, efeméride comemorada a 18 de abril, segunda-feira, este ano sob o tema “Património e Clima”, através da dinamização de diversas atividades.

Trata-se de uma iniciativa impulsionada pela Direção Geral do Património Cultural (DGPC), em colaboração com o ICOMOS Portugal, com a finalidade de reconhecer o potencial do património cultural na construção de uma ação climática inclusiva, transformadora e justa, através da salvaguarda do património cultural contra os impactos climáticos adversos, como os efeitos do aquecimento global, a alteração de ecossistemas envolventes, as situações de seca extrema ou de exposição à subida das águas. O tema visa ainda a análise do passado e do património material e imaterial, enquanto herança e referência identitárias, com projeção sobre um futuro mais solidário e inclusivo das comunidades e públicos.

Assim, o Museu Carlos Machado, promove, a 18 de abril, pelas 16h30, no Núcleo de Santa Bárbara, em Ponta Delgada, a realização de uma mesa-redonda moderada por Diamantino Henriques, do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) e ainda a iniciativa “Há intrusos no Museu?” que decorrerá de 18 a 22 de abril em todos os núcleos e convidará os visitantes a descobrir a relação entre peças e o local onde estão inseridas, promovendo a reflexão o conhecimento sobre as mesmas e os seus espaços museológicos.

O Museu de Santa Maria, através do seu Serviço Educativo, assinalará a efeméride através da realização, a 19 de abril, de uma oficina dirigida ao público escolar, de reprodução de pequenos objetos de barro, para dar a conhecer a importância da olaria e da sua matéria-prima existente na Ilha de Santa Maria, além dos antigos mestres oleiros marienses.

O Museu de Angra do Heroísmo, em colaboração com o Cineclube da Ilha Terceira, numa iniciativa inserida na mostra CineEco 2022, fará, a 18 de abril, pelas 10h00, a projeção das três curtas-metragens de animação premiadas que abordam questões ambientais e fomentam a consciência ecológica: “Acorns”, de Bradley Furnish; “Migrants” de Hugo Caby, Antoine Dupriez, Aubin Kubiak, Lucas Lermytte e Zoé Devise; e “#FishingthePlastic”, de Marina Lobo.

O Museu da Graciosa dinamizará, a 23 de abril, entre as 9h30 e as 12h00, a “Rota da Baleação” que pretende destacar a importância desta atividade nas estruturas económica, cultural e social na ilha e que terá início na sede do Museu, com a visualização de um filme sobre a observação de baleias nos Açores, prosseguindo para o Barracão dos Botes Baleeiros de Santa Cruz, espaço deste Museu, depois para a vigia do Monte d`Ajuda, culminando nos varadouros e caldeiros da Barra.

O Museu do Pico apresentará, a 18 de abril, pelas 21h00, no auditório do Museu dos Baleeiros, nas Lajes, o filme “O Homem do Vento Norte”, uma longa-metragem de Paulo Henrique Silva, que narra, ao longo de cinco anos, a vida de dois homens na Fajã da Caldeira de Santo Cristo, na Ilha de São Jorge, e as suas interações neste ecossistema singular.

O Museu da Horta, em colaboração com a Câmara Municipal da Horta, promoverá, entre 18 e 22 de abril, a realização de subidas à Torre do Relógio, imóvel de construção inicial do século XVIII, contiguo à primeira Igreja Matriz da Horta, nas quais se dará a conhecer a história do monumento e da sua área envolvente – Largo D. Luís I, Jardim Florêncio Terra e Mirante da Conceição.

O Museu Francisco de Lacerda, através do Polo Museológico da Igreja de Santa Bárbara, irá promover, a 18 de abril, virtualmente e presencialmente, uma exposição e explicação histórica sobre a pintura de São Francisco de Borja, padroeiro dos terramotos, patente neste espaço, localizado na freguesia das Manadas, em Velas, com vista a sensibilizar os cidadãos para o passado histórico de eventos naturais ocorridos na ilha de São Jorge, e o papel do património religioso na preservação desses eventos na memória coletiva jorgense.

O Museu das Flores inaugurará, a 18 de abril, a exposição “Flores, uma ilha de água” na qual abordará, a partir das suas coleções, a problemática da gestão hídrica, desde o seu processo de transporte, armazenagem e utilização, e como fonte de produção energética e aproveitamento hidroelétrico.

O Ecomuseu do Corvo dinamizará, a 18 de abril, às 9h30, as iniciativas “Visita guiada à Atafona”, espaço que testemunha da atividade cerealífera na ilha do Corvo que, durante séculos, garantiu a sobrevivência da comunidade corvina, bem como uma exposição de alfaias agrícolas relacionadas com o ciclo dos cereais, além da atividade online kahoot intitulada “À Descoberta do Património Corvino” que, através da colocação de questões, visa aumentar a consciência pública sobre a diversidade e a preservação patrimoniais.

© GRA | Imagem: SRCCTD/GRA | PE

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s