COVID-19: DOIS ANOS DE PANDEMIA CUSTARAM CERCA DE 80 MILHÕES DE EUROS

De acordo com o secretário regional da Saúde e Desporto, Clélio Meneses, os dois anos de pandemia covid-19 nos Açores, obrigaram o Governo dos Açores a uma despesa, em saúde, na ordem dos 80 milhões de euros.

A informação foi transmitida segunda-feira, 14, véspera da data que assinala o primeiro caso de infeção por SARS-CoV-2 detetado nos Açores, em Angra do Heroísmo, numa conferência de imprensa para fazer o balanço desses 24 meses de pandemia.

Citado em nota divulgada no portal internet do Governo dos Açores, Clélio Meneses revelou também que, dos 80 milhões de euros, cerca de 23 milhões se destinaram ao pagamento de convenções com cerca de três dezenas de entidades, em diversas ilhas, no âmbito da testagem para despiste do vírus SARS-CoV-2.

O governante referiu que a partir de dezembro de 2021, e já com o surgimento da variante Ómicron, bem como um aumento “exponencial de casos” no final do ano e início de 2022, “o aumento da intensidade da testagem através de entidades convencionadas foi determinante para o controlo da pandemia”.

E adiantou que, até ao dia 14 de março, foram realizados no arquipélago um milhão e 40 mil testes.

Clélio Meneses destacou ainda o processo de vacinação como um meio eficaz de combate à pandemia, sendo que de 31 de dezembro de 2020 até ao presente, foram realizadas 510.640 inoculações nos Açores.

O governante louvou a ação dos profissionais de saúde na testagem e na vacinação, quadros “decisivos para os resultados” da região, lembrando igualmente o papel desempenhado pelas forças de segurança e da proteção civil.

Clélio Meneses anunciou ainda que o Boletim Diário da Autoridade Regional de Saúde passará a semanal, sendo divulgado à sexta-feira. No continente, a Direção-Geral da Saúde desde 11 de março que não emite boletins diários, publicando também à sexta-feira, a evolução epidemiológica semanal.

O diretor regional da Saúde, Berto Cabral, acrescentou que a abordagem feita aos casos positivos de covid-19 dita agora que “apenas quem testar positivo fica em isolamento de cinco dias”.

Quanto aos contactos próximos, quem estiver “sem dose de reforço, ou não vacinado, deve fazer um teste ao quinto dia”, declarou.

O diretor regional anunciou ainda a entrada em funcionamento do processo automático de convocatória para testagem PCR: “a partir de agora, os utentes de São Miguel e da Terceira irão passar a receber um SMS e um email com um código que vai validar a realização do teste junto da entidade privada”.

© GRA | Foto: SRSD/GRA | PE

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s