COVID-19: VACINAÇÃO DE CRIANÇAS NOS AÇORES DEVE ARRANCAR DIA 17 EM REGIME DE CASA ABERTA

A vacinação contra a covid-19 de crianças entre os 5 e os 11 anos nos Açores deverá arrancar no dia 17 de janeiro, em regime de casa aberta, adiantou hoje o secretário regional da Saúde.

“É possível que os pais que assim o entendam possam vacinar os filhos entre os 5 e os 11 anos. Isto acontecerá logo que cheguem as vacinas específicas para as crianças, que se prevê que cheguem no dia 17 destes mês. Logo que cheguem serão administradas pelas respetivas unidades de saúde”, disse aos jornalistas, em Angra do Heroísmo, o titular da pasta da Saúde nos Açores, Clélio Meneses.

Segundo o secretário regional da Saúde, a vacinação das crianças nos Açores – a única região do país que ainda não tinha avançado com esta medida – será feita sem necessidade de marcação prévia e sem diferenciação entre idades.

“A vacinação das crianças é por casa aberta. Os pais que entendam dirigem-se ao respetivo centro de saúde. Podendo ser vacinados na hora, são vacinados na hora, senão é feito o agendamento”, apontou.

Clélio Meneses reiterou que a prioridade da região foi vacinar “os mais vulneráveis”, alegando que a vacinação das crianças ocorrerá numa altura em que já está a ser vacinada com a dose de reforço a faixa etária entre os 50 e os 64 anos.

Questionado sobre o número de crianças abrangidas nesta faixa etária, o secretário regional disse não ter “esse levantamento feito de forma precisa”, mas alertou para a baixa adesão noutras regiões do país.

“Não há muita adesão, de qualquer maneira vamos dar essa possibilidade para quem entender proceder a essa vacinação”, avançou.

Questionado sobre a possibilidade de a terceira dose da vacina contra a covid-19 ser alargada a professores, à semelhança do que acontece no continente português, Clélio Meneses disse que não está prevista a inclusão deste grupo profissional nos grupos prioritários.

“O que está previsto é fazermos a inoculação da dose de reforço com critérios etários e com critérios etários vamos abranger professores e todas as outras profissões, porque somos confrontados todos os dias com representantes de todas as profissões a entenderem que aquela profissão é que é essencial e deve ser prioritária”, revelou.

© Lusa | Foto: GRA/SRSD | PE

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s