EM CURSO: OBRAS DE PROLONGAMENTO DA AVENIDA MARGINAL E CONSTRUÇÃO DE NOVO BAR E BALNEÁRIOS DA PRAIA DA RIVIERA

No âmbito do projeto integrado de valorização das zonas balneares da cidade, decorrem as obras de prolongamento da Avenida Marginal da Praia da Vitória com passeio pedonal e ciclovia, e a construção de um novo bar e balneários de apoio à praia da Riviera.

O investimento orçado em cerca de 250 mil euros, totalmente suportados por fundos municipais, contempla ainda a reabilitação do paul do Belo Jardim.

Na apresentação do projeto, a 08 de março de presente ano, o então presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória, Tibério Dinis, avançou que as obras deverão estar concluídas antes do início da época balnear 2022.

Segundo disse então, na Casa do Povo do Cabo da Praia, o novo edifício na praia da Riviera passará a ter cozinha, bar, esplanada (preparada para estar aberta durante o verão e ser um espaço completamente fechado durante o inverno), instalações sanitárias para funcionários e clientes, espaço para acondicionamento de resíduos e outras condições necessárias, como água quente, proteção contra incêndios e antivandalismo.

Acrescentou, que dividida em dois blocos, a nova a infraestrutura será ultrapassada a meio pelo final do percurso do prolongamento da Marginal, duche exteriores para banhistas, balneários de apoio à praia, sanitários, arrumos de apoio aos nadadores salvadores e espaço com mobiliário urbano para contemplação da vista, assim como será um espaço completamente adaptado para cidadãos portadores de mobilidade reduzida. Ao todo serão 220 metros quadrados de área de implantação bruta de infraestrutura com acesso ao areal através de um passadiço em deck.

Nessa mesma ocasião, o ex-presidente, garantiu ainda que “as obras não provocarão qualquer alteração da topografia, nem da vegetação e do ecossistema existentes”.

Ora assim não o entende o BE/Açores, que esta semana entregou na Assembleia Legislativa Regional um requerimento dirigido ao Governo dos Açores a solicitar explicações sobre a construção desta infraestrutura, que afirma “está a ser feita sobre as dunas, a menos de 50 metros da linha do mar”.

Para o BE/Açores, contrariamente ao prometido na apresentação do projeto, com as obras em curso, “verifica-se que há uma descaracterização daquele espaço, com a utilização de betão numa zona já sobre uma duna”.

O Bloco salienta ainda que, de acordo com o Plano de Ordenamento da Orla Costeira da Ilha Terceira, “os apoios de zona balnear e os equipamentos com funções comerciais não se devem localizar nos areais, nas áreas de solário ou em outras áreas sensíveis”.

Este documento que regula a utilização da orla costeira, sublinha o Bloco, refere ainda que, “no caso de não existirem alternativas tecnicamente viáveis de localização destas instalações, estas devem ser ligeiras e desmontáveis e localizadas preferencialmente na zona de maior cota e de maior proximidade às redes de infraestruturas gerais”.

Ao longo dos anos a geografia humana tem provocado, na Praia da Vitória, grandes distúrbios paisagísticos. O exemplo mais flagrante é a denominada “praia Grande” que fruto de múltiplas e variadas intervenções é hoje, para as velhas gerações, uma “quimera” do que foi. A geografia humana constrói-se com a força do capital. A geografia natural é uma dádiva da natureza, absolutamente singular e irrepetível.

© PE | Fotos: PE/RS

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s