SECRETARIA DA EDUCAÇÃO LANÇA PROJETO-PILOTO PARA IMPLEMENTAÇÃO DE MANUAIS DIGITAIS

A Secretaria Regional da Educação lançou um projeto-piloto para a implementação de manuais digitais na Região.

“Vamos iniciar numa turma do 5.º ano da Escola Básica e Integrada Francisco Ferreira Drummond, na ilha Terceira, e numa turma do 8.º ano da Escola Secundária Antero de Quental”, revelou na passada quinta-feira Sofia Ribeiro.

O projeto foi lançado numa sessão de esclarecimento com a turma selecionada do 8.º ano da escola Antero de Quental e corresponde a um dos compromissos do programa do XIII Governo Regional.

Para a titular da pasta da Educação do Governo dos Açores, citada em nota do executivo, “ter um projeto de desmaterialização de manuais, não consiste apenas na troca de um manual em papel para um manual que está num computador”.

O manual digital, referiu, “não é uma ferramenta que dá apenas a informação no formato de leitura, mas também em formatos audiovisuais; que permite aplicar testes, que permite fazer trabalhos de continuidade e que permite ao professor ter um ‘feedback’ mais rápido, na sua ação normal, e portanto garantir aprendizagens mais significativas”.

Para este projeto, os alunos terão equipamento próprio: “O objetivo é termos, até ao final do ano de 2026, todos os nossos alunos da Região com acesso aos manuais escolares, através de equipamento tecnológico individual, introduzido de forma gradual”, disse.

Sofia Ribeiro esteve esta quarta-feira na Escola Francisco Ferreira Drummond a acompanhar a formação dos docentes da turma do 5.º ano.

Este, explicou, é um processo complexo, razão pela qual deve ser introduzido de forma faseada.

“Seria um risco grande se [o projeto] arrancasse em toda a Região de uma só vez. Desta forma, o projeto pode ser adaptado, corrigindo as incorreções que naturalmente possam surgir”, sublinhou.

Sofia Ribeiro explicou ainda que este projeto “vai permitir aos pais e aos encarregados de educação um acompanhamento mais direto naquilo que o aluno está a aprender”.

Salientou, ainda, que este é um processo de “grande exigência”, adiantando que “inclui uma componente de segurança no acesso e na rastreabilidade do próprio equipamento”.

Este projeto-piloto é conduzido em parceria com a Susiarte, a Porto Editora, a Samsung e a Altice, que estão a colaborar em regime de mecenato.

© GRA | Fotos: SRE | PE

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s