ARTUR LIMA QUER MANTER NO DOMICÍLIO DOENTES QUE NÃO NECESSITAM INTERNAMENTO HOSPITALAR

O vice-presidente do Governo Regional dos Açores, Artur Lima, destacou hoje, após uma visita ao Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, a necessidade de articulação entre várias entidades no sentido de manter no domicílio os doentes que não necessitam de internamento hospitalar.

“Os casos sociais são um problema que aflige tanto a Vice-Presidência, como o Hospital de Ponta Delgada”, declarou Artur Lima citado em nota de imprensa, acrescentando que é necessário dar respostas a estas situações, “em articulação com o hospital com as EPIS e com a Casa de Saúde”, conforme a patologia de cada doente.

Nas declarações prestadas após uma reunião com o Conselho de Administração do hospital de Ponta Delgada, presidido por Cristina Fraga, Artur Lima informou que estão 15 pessoas internadas, “algumas delas abandonadas pela família”, e há ainda uma família que não tem capacidade para manter o idoso em casa.

Nesse sentido, acrescentou, é “cada vez mais premente a implementação da resposta integrada para manter o idoso em casa”.

“Isso pressupõe uma articulação muito eficaz entre as diversas entidades envolvidas”, avançou o governante, justamente ao nível dos cuidados continuados de longa duração, que é preciso melhorar para que se possa “dar uma resposta social a estes doentes”.

O vice-presidente do executivo sublinhou ainda o “extraordinário trabalho” do Conselho de Administração do hospital, sobretudo no que se refere ao acréscimo de 600 cirurgias neste primeiro trimestre “em comparação com o primeiro trimestre do ano passado”.

Segundo disse, este facto reside num “esforço conjunto de união” que permite a recuperação de listas de espera e recuperação de cirurgia oncológica, “que já começou a ser feita com muito sucesso”.

No que concerne à questão da falta de oxigénio no hospital, Artur Lima garante que não há nenhum problema a esse nível e que “nunca houve falta de oxigénio”.

“É preciso é melhorar a tubagem para disponibilizar mais enfermarias com débito de oxigénio”, assegurou Artur Lima, afirmando que é uma “situação que se resolve com o devido investimento”.

© GRA | Foto: JF | PE

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s