ALEXANDRA MANES INSISTE NA REARBORIZAÇÃO DA ILHA TERCEIRA

Alexandra Manes defende a implementação urgente de um plano de arborização na ilha Terceira e critica o sucessivo abate de árvores e podas mal executadas, situações que se repetem desde 2011.

Numa ação simbólica, esta segunda-feira, na Avenida Infante D. Henrique, a cabeça de lista do BE pela ilha Terceira, referiu que o seu partido sempre se insurgiu contra o abate sucessivo, sem que se procedesse a uma rearborização.

O local escolhido deveu-se à recente poda das árvores existentes nesta avenida, sabendo-se já que as mesmas serão abatidas.

“Embora Álamo Meneses afirme que haverá a rearborização deste espaço, não nos esquecemos que em 2013 disse o mesmo acerca da Avenida Álvaro Martins Homem e até hoje essa avenida permanece sem qualquer árvore, portanto nada nos garante que fale a verdade”, afirmou Alexandra Manes.

Alexandra Manes relembrou que as árvores não têm só um papel estético, mas têm muitos outros benefícios: refrescam o ar, filtram a poluição, reduzindo o risco de doenças respiratórias, protegem do vento e das enchentes, um problema desta cidade, reduzem o ruído, e aumentam a biodiversidade.

“Não podemos ser coniventes com quem não respeita o ambiente e não reconhece o papel importantíssimo das árvores”, acrescentou Alexandra Manes.

São imensos os casos de cidades e regiões que têm um plano de arborização, no entanto, na Região, não parece haver essa preocupação.

É URGENTE COMBATER O FLAGELO DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA NOS AÇORES

Ainda esta segunda-feira, a lista candidata do BE pelo círculo da ilha Terceira esteve reunida com o Núcleo de Prevenção e Combate à Violência Domestica da Santa Casa da Misericórdia da Praia da Vitória para conhecer o trabalho desenvolvido por este núcleo.

Para Alexandra Manes, a violência doméstica é um flagelo social que urge combater, tanto na prevenção como nas respostas que são dadas às vítimas e filhos.

“É necessário ter respostas imediatas que contemplem os filhos, pois esta é uma das situações que faz com que desistam de apresentar queixa. Por outro lado, as casas abrigo devem ter resposta para pessoas com mobilidade reduzia, coisa que não acontece em alguns casos”, disse Alexandra Manes.

Outra questão preocupante, apontou a candidata bloquista, é a falta de resposta para vítimas com mais de 65 anos, uma vez que as mesmas não se encontram abrangidas naqueles que são os critérios das casas abrigo.

Alexandra Manes apresentou a proposta de aquisição de uma aplicação para a denúncia através de smartphone, que facilita o processo imediato de alerta e denúncia.

“A violência doméstica é um crime público que todas e todos nós temos a obrigação de denunciar e combater, logo esta aplicação não se restringe somente às vítimas, mas também a quem presencia”, concluiu a também coordenadora do BE/Terceira.

© GC-BE | Fotos: GC-BE | PE

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s