CMPV AVANÇA COM CANDIDATURA DE 1,2 ME VISANDO A SUSTENTABILIDADE DOS AREAIS DA PRAIA DA VITÓRIA

Executivo camarário entende que deve deixar às gerações futuras “as praias de areia que deram nome à cidade”, das quais hoje resta uma pequena fração, “por força da ação humana, dos portos e pontões que foram construídos, mas também das alterações climáticas”.


A Câmara Municipal da Praia da Vitória conta submeter até ao final do primeiro semestre do presente ano, uma candidatura no valor de 1,2 milhões de euros aos fundos comunitários do programa LIFE, que visa garantir a sustentabilidade dos areais da Praia da Vitória.

O anúncio foi feito pelo presidente do executivo camarário praiense, Tibério Dinis, na passada sexta-feira, 31 de janeiro, ao discursar na sessão de abertura de um Seminário promovido pelo Município, no âmbito das comemorações do Dia Mundial das Zonas Húmidas que assinala-se anualmente no segundo dia de fevereiro. Nesse discurso, Tibério Dinis revelou ainda que, “até ao final do ano, o Paul da Pedreira do Cabo da Praia será candidatado à distinção internacional da Convenção RAMSAR”.

“Do ponto de vista estratégico estamos a trabalhar para até ao final do segundo trimestre deste ano, submetermos uma nova candidatura ao programa europeu LIFE, denominada Sustentabilidade dos Areais da Praia da Vitória, com o objetivo de, com a mesma linha de financiamento e com a mesma estratégia de prevenção e sustentabilidade ambiental que tivemos com os pauis, olharmos para os nossos areais”, afirmou.

O edil lembrou a extensão e beleza destes areais no início do século XX, para constatar que “hoje resta uma pequena fração deste areal, por força da ação humana, dos portos e pontões que foram construídos, mas também das alterações climáticas”, pelo que, entende, “devemos deixar às gerações futuras as praias de areia que deram nome à Cidade”.

Esta não foi a primeira vez que o autarca praiense se mostra preocupado com esta realidade, em 2018, por ocasião do 37.º aniversário da elevação da Praia da Vitória a cidade, no dia 20 de junho, Tibério Dinis, havia revelado igual preocupação e anunciado uma nova candidatura ao projeto LIFE, “tendo como objeto a recuperação e sustentabilidade dos nossos areais”.

“Portanto”, prosseguiu o autarca, “alinhados na estratégia europeia assente nos eixos do programa LIFE, pretendemos candidatar este projeto, para trabalharmos na sustentabilidade destes areais, estando nós a falar de um projeto total de cerca de 1,2 milhões de euros, 50% dos quais serão cofinanciados por fundos europeus”.

Tibério Dinis advertiu que “este novo projeto não é autónomo ou diferente do projeto de recuperação dos pauis”, considerando que “deve ser visto como uma segunda fase do projeto dos pauis, até porque temos o Paul do Belo Jardim com sistema dunar, havendo uma ligação íntima entre o Paul e o areal da Praia da Riviera e, porque do ponto de vista quer da fauna, como da flora e da própria sustentabilidade ecológica, ambas as infraestruturas estão ligadas pela sua natureza, nomeadamente também o Paul da Cidade fazia ligação com o areal da chamada Praia Grande”.

Para além de reconhecer o trabalho da equipa técnica do Município que foi pioneira nos Açores no aproveitamento de fundos europeus destinados à recuperação destes ecossistemas, de agradecer a forma empenhada e até voluntária como muitos investigadores e docentes universitários se têm dedicado ao projeto de recuperação dos pauis e de fazer o balanço do trabalho dos anos que conduziram à realidade atual, o Presidente da Câmara Municipal da Praia da Vitória adiantou ainda que a Autarquia “está a aguardar pela abertura da plataforma RAMSAR, este ano, para submeter a candidatura do Paul da Pedreira do Cabo da Praia àquela Convenção, pois mais do que um galardão, é um reconhecimento internacional pelo trabalho aqui desenvolvido”.

Por fim, Tibério Dinis revelou também que, após a intervenção de que será alvo no âmbito do projeto de prolongamento da Marginal da Praia da Vitória, o Paul do Belo Jardim “deverá ser candidatado à Convenção RAMSAR em 2021… Não é uma promessa. É um objetivo”, concluiu.

PAUIS DA PRAIA

Os pauis da Praia da Vitória são garantia de equilíbrio e sustentabilidade ambientais, reconhecidos a nível nacional e internacionalmente (O Paul da Praia da Vitória é reconhecido pela Convenção RAMSAR e o projeto levou a que a Autarquia fosse distinguida com o galardão de ‘Município do Ano 2018’).

Recorde-se que o Município praiense foi pioneiro a nível regional como entidade beneficiadora dos projetos financiados ao abrigo do Programa LIFE + da União Europeia, através do desenvolvimento do projeto “Restauro Ecológico e Conservação da Infraestrutura Verde Húmida Costeira da Praia da Vitória – LIFE CWR”. Com este projeto foi feita a restauração e aumento da sustentabilidade dos pauis da Praia da Vitória, nomeadamente o Paul da Praia da Vitória, a recuperação da zona húmida do Belo Jardim e o Paul da Pedreira, na freguesia do Cabo da Praia.

Para além destes trabalhos ecológicos, o projeto LIFE CWR levou à edificação de um Centro de Interpretação Ambiental (que tem funcionado como um promotor da educação ambiental no Concelho e na Ilha), possibilitando um aumento do conhecimento popular sobre zonas húmidas costeiras e potenciando a Praia da Vitória como nicho do turismo ornitológico.

Pode saber mais sobre as zonas húmidas da Praia da Vitória no site do Projeto LIFE CWR (www.lifecwr.com) que aposta na interatividade, mas carece de atualização já que continua como responsável pelo pelouro do Ambiente, a ex-vereadora Paula Ramos.

GC-MPV/PE

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s