DEPUTADOS DO PS/TERCEIRA ENALTECEM ROBUSTEZ DO SRS NA RESPOSTA À PANDEMIA

Os deputados do Grupo Parlamentar do Partido Socialista, eleitos pelo círculo eleitoral da ilha Terceira, destacam “o reforço de meios que permite ao Hospital do Santo Espírito da Ilha Terceira (HSEIT) responder à crise pandémica” e também, acrescentou Tiago Lopes, recuperar na prestação de outros cuidados médicos. O deputado falava na sequência de uma reunião no Hospital, inserida numa ronda de auscultações que os parlamentares vão realizar junto de diversas entidades da Ilha Terceira.

Para Tiago Lopes, a reunião com o Conselho de Administração do Hospital do Santo Espírito da Ilha Terceira (HSEIT), realizada esta quarta-feira, permitiu constatar que, ao contrário do que foi afirmado pelo Secretário Regional da Saúde e Desporto, o Serviço Regional de Saúde está longe de colapsar.

“O caminho evolutivo realizado pelo HSEIT no que concerne ao reforço de recursos humanos e de recursos materiais, bem como a um melhor equilíbrio económico e financeiro da instituição, traduzido pela correspondente melhoria da capacidade de resposta da sua atividade assistencial, foi notoriamente evidenciado na reunião realizada com o Conselho de Administração”, referiu o deputado do PS/Açores.

Tiago Lopes referiu ainda, em declarações aos jornalistas, que a reunião possibilitou “verificar que ao longo dos últimos anos o investimento realizado no HSEIT, no que se refere ao aumento da dotação do seu quadro de pessoal, nomeadamente, naquilo que diz respeito a profissional médico, de enfermagem e assistentes operacionais, permitiu, atualmente, estar capacitado para enfrentar esta crise pandémica e, ainda assim, manter a atividade assistencial fora do âmbito da COVID-19”.

“Prova disso é a capacidade de internamento, que está longe de estar esgotada, por via da reorganização interna no âmbito da preparação a esta crise provocada pela COVID-19, onde os recursos humanos desempenharam um papel fundamental, adaptando-se e cumprindo exemplarmente com as respostas necessárias a prestar à população”, referiu o parlamentar.

Outra prova, acrescentou Tiago Lopes, foi a recuperação da lista de espera na especialidade de Oftalmologia, onde segundo informações transmitidas pelo Conselho de Administração do HSEIT, a instituição cumpre agora com o previsto no Tempo Máximo de Resposta Garantido (TMRG) para a referida especialidade.

“Com a admissão de mais de cerca de 50 internos do ano comum e de mais de 30 internos de especialidades médicas na Região, e não recém-especialistas como foi ontem referido pela Secretaria Regional da Saúde e Desporto, fruto dos procedimentos concursais levados a cabo pela Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) no decorrer do ano de 2020, a Região poderá, assim, ver continuado o trabalho de consolidação do quadro do pessoal e melhoria da capacidade de resposta na área da saúde”, acrescentou.

Tiago Lopes especificou que no caso dos internos da especialidade o HSEIT irá receber três elementos: dois da especialidade de Medicina Interna e um de Cirurgia Geral.

Questionado relativamente à situação financeira vivida pela instituição Tiago Lopes frisou que “na sequência da reunião com o Conselho de Administração, este último corroborou o já demonstrado pelo relatório de contas do terceiro trimestre e já afirmado pelo Grupo Parlamentar do Partido Socialista de que, por via do reforço orçamental aprovado em setembro de 2020, a instituição não possui défice, contrariando-se, assim, o recentemente afirmado pelo Secretário Regional da Saúde e Desporto”.

ADMINISTRAÇÃO DO HSEIT CONFIRMAM INFORMAÇÕES DO SECRETÁRIO

Segundo uma nota da Secretaria Regional da Saúde e Desporto, hoje emitida, o “Conselho de Administração do HSEIT reiterou as informações veiculadas pelo secretário regional da Saúde e Desporto, sobre a existência de 1,6 milhões de euros de deficit de tesouraria mensal”.

Nesse sentido, diz a nota do gabinete de Clélio Meneses, “a informação divulgada ontem pelos deputados do Partido Socialista sobre este assunto é incompleta e enviesada”.

“Ao longo de 2020 e analisando os dados até setembro, verifica-se que o HSEIT recebeu, mensalmente, uma média de 6,5 milhões de euros para fazer face aos seus compromissos”, refere a nota.

Por outro lado, acrescenta a nota, “no mesmo período de análise, os encargos mensais foram, em média, de 8,1 milhões de euros. Assim, em média, faltaram 1,6 milhões de euros ao HSEIT para fazer face às necessidades de pagamentos”.

“Apesar do reforço das receitas para fazer face às despesas com a COVID-19 ter permitido registar, em setembro, um resultado positivo na ordem dos 904 mil euros, isso não alterou o fato de se registar um deficit financeiro mensal médio de 1,6 milhões de euros”, é exposto na nota.

A nota da tutela finaliza sublinhando “o facto de que os dados referidos, em conjunto com uma situação de dívida acumulada de anos anteriores, na ordem dos 36 milhões de euros, não traduzem, nunca, uma situação financeira estável”.

© GPPS/A – GaCS/SRSD | Foto: DR | PE

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s